O significado das flores no universo feminino

Antigamente, moças e rapazes mal se falavam durante o namoro. Beijo, então, nem mesmo durante o noivado, só depois do casamento. Esses eram tempos em que os amores se expressavam pela linguagem das flores. Em seu livro Segredos de Tias e Flores (Editora Relume Dumará, 1984), a escritora Henda traduz um desses complexos e divertidos diálogos:

“Por ti sinto cravo encarnado (amor vivo e puro). Sofro com tua hortênsia (indiferença). Admiro tua violeta branca (ingenuidade). Espero margarida (resposta). Por favor, mande-me uma iris (mensagem).”

Os dicionários com o significado das flores eram cuidadosamente guardados em gavetas fechadas com chave para que mães e avós não bisbilhotassem. Os códigos das flores eram um pouco assim como as senhas para os nossos zaps dos dias de hoje. Talvez bem mais complexos, mas provavelmente muito mais divertidos.

A escritora Henda (Segredos de Tias e Flores, Editora Relume e Dumará, 1994) compilou uma linda lista dessas preciosidades. Confira o significado das principais flores utilizadas pelas pessoas apaixonadas nos tempos de antigamente:

Açucena – inocência
Alecrim verde – firmeza
Alecrim seco – saudades
Alfazema – volubilidade
Amarílis – ostentação falsa
Amor-perfeito – pensamento
Angélica – inconstância
Angélica branca – inspiração
Angélica branca dobrada – alento e vigor

Balsamina – previdência,zelo
Beijo-de-frade branco – atrativos, simpatia
Beijo-de-frade pintado – protesos de amor
Boca-de-leão azul – amor sorrateiro
Boca-de-leão branca – mau resultado
Boca-de-leão encarnada – contenda
Botão de cravo amarelo – desespero total
Botão de cravo cor-de-rosa – união
Botão de rosa branca – coração que nunca amou
Botão de rosa encarnada – perfeição
Botão de rosa amarela – disparate

Camélia banca – pensamento puro
Camélia rosa – grandeza da alma
Capuchinhas – respeito, discrição
Coroa imperial – glória
Cravo amarelo – desprezo, desdém
Cravo branco – atração, inclinação afetuosa
Cravo rosado – alento, preferência

Dália amarela – venturas
Dália branca – candura
Dália cor-de-rosa – crueldade
Dália rajada – juras de amor

Ervilha-de-cheiro – prazer

Flor de laranjeira – afabilidade, felicidade

Gerânio – tristeza, espírito melancólico
Goivos amarelos – preferência
Goivos encarnados – enfado
Goivos roxos – solidão

Heliotrópio – amor sincero
Hortênsia – indiferença

Íris – mensagem

Jacinto – sabedoria
jasmin-do-cabo – encantamento, pretensão
Jasmin-da-espanha – amabilidade
Jasmin miúdo – paixão
Junquilho – desejos
Junquilho dobrado – namoro

Lilás azul – primeiro amor
Lilás branco – exprobação, reprovação
Lilás roxo – tédio, tristeza

Lírio branco – amor puro
Lírio amarelo – incerteza

Madressilva – consideração, delicadeza de sentimentos
Magnólia – incompreensão
Mal-me-quer – amor oculto
Malva cheirosa – aviso
Maravilhas – admiração
Margarida branca – espera, resposta
Mimo-de-vênus branco – satisfação
Miosótis – lembrança, recordação
Monsenhor branco – desistência
Monsenhor roxo – perigo
Murta – doce amor

Narciso – gentileza

Papoula – feliz encontro
Perpétua roxa – saudade eterna

Resedá – virtude oculta
Rosa amarela – infidelidade, traição
Rosa branca – silêncio, pudor
Rosa chá – gentileza
Rosa cor-de-rosa – laços indissolúveis
Rosa-da-índia – estima
Rosa-de-jericó – graça
Rosa vermelha – chamas de amor

Sálvia – coragem
Saudade branca – sinceridade
SAudade roxa – sofrimento
Suspiros – dúvidas

Tulipa – honestidade

Verbena – encanto
Violeta – humildade
Violeta branca – ingenuidade
Violeta roxa – modéstia

Zínia – abandono

About The Author

Zezé Weiss

Jornalista Socioambiental

Related Posts

Deixe uma resposta