“Força”, uma palavra para a compreensão certa – 

A palavra tinha o tamanho de uma mão. Muito pequena. A unidade entre cada letra é que dava o seu significado. Ao mesmo tempo que poderia entender sucesso, se não a pronunciasse corretamente, seria o fim para algumas pessoas. Nada além de dois substantivos femininos, os quais podem exaltar a uns em detrimento de outros, dependendo tão somente de uma leitura errônea.

O que estava escrito era: “Força”. O que existe nesta junção de letras para a tornar valiosíssima? Sendo ela um substantivo feminino, vamos ao seu significado:1) Uma Força Corporal que se externa: agente físico capaz de alterar o estado de repouso ou de movimento uniforme de um corpo material; qualidade do que é forte; robustez, vigor físico; aquilo, frequentemente algo desconhecido, que faz mover (algo ou alguém); impulso, incitamento;

2) Força Interior que se externa através de ações: aquilo que influi (em algo); poder, influência, eficácia; aquilo que se impõe; autoridade, império, domínio, poderio; capacidade de impressionar, de causar impacto, na obra de um escritor ou de um artista; característica psicológica do que não se deixa abater nem dominar;  firmeza; o mais alto grau de uma coisa; auge, apogeu; motivo muito forte, causa inarredável; energia elétrica; eletricidade; grande dose ou quantidade de algo; abundância; a parte mais numerosa ou importante de um todo, o grosso.
Por outro lado, usando a “Força” indevida podemos massacrar a vida de alguém levando-o para a “FORCA”. Tenha cuidado com este outro substantivo feminino para não usar a forca  no desejo de fazer valer a sua “Força”, até mesmo para que possa existir alguém muito mais entendido que você na interpretação do português e te levar à Força para a Forca.
O que é, todavia, a “Força”?
1) Um Instrumento que leva a morte, pois consiste em uma laçada usada para suspender uma pessoa pelo pescoço e estrangulá-la; o castigo do enforcamento; o local da execução; patíbulo, cadafalso; ação para iludir, enganar; laço, ardil.
2) Um Jogo: jogo em que uma pessoa traça tantas semirretas quantas são as letras de uma palavra que o opositor terá de adivinhar, propondo uma letra de cada vez; quando há acerto, a letra é escrita sobre a semirreta correspondente, mas a cada erro é desenhada parte de um corpo enforcado.
Esta mesma palavra sem muita extensão, comparada a uma mão, se usada pela própria mão pode mostrar o auge de uma pessoa ou sua destruição. Assim, a Força tem levado muitas pessoas para a Forca quando a mão humana trabalha esquecendo que pode também haver outras mãos voltadas contra seus oponentes.
ANOTE AÍ:
@Padre Joacir d’Abadia, Filósofo,  autor de vários livros.

Comentários

%d blogueiros gostam disto: