“Cozinha-se o feijão com os temperos: toucinho, carne-de-sol, charque e um refogado de cebola e alho feito em azeite doce.” Taí uma linda receita do tradicional Baião-de-Dois nordestino, conforme o ensinamento da escritora Rachel de Queiroz em seu clássico livro “O Não Me Deixes”.

Por Rachel de Queiroz

O baião de dois – traduzindo: arroz com feijão – é um dos pratos tradicionais da cozinha nordestina. Claro que não é a simples mistura do feijão cozido com arroz cozido.

Tem preparo específico, o feijão com seu próprio tempero e determinado ponto de cocção recebendo o arroz, que cozinha naquele caldo de feijão enriquecido.

Existem várias maneiras de fazer o baião-de-dois, mas essa é a que usamos no Não Me Deixes:

Para duas partes de feijão (de preferência feijão-de-corda maduro), uma parte de arroz.

Cozinha-se o feijão com os temperos: toucinho, carne-de-sol, charque e um refogado de cebola e alho feito em azeite doce.

Quando o feijão estiver cozido, põe-se o arroz e deixa-se em fogo brando. Acrescenta-se cheiro verde (coentro e cebolinha) e, pouco antes de tirar do fogo, enfiam-se pedaços de queijo (como palitos) até que derretam.

Não se esquecer, quando o baião estiver pronto, de jogar por cima uma boa porção de torresmo.

 

Rachel de Queiroz. Escritora. Em O Não Me Deixes – suas histórias e sua cozinha. Editora Siciliano. 2000.

CLIQUE NO ANÚNCIO PARA AJUDAR NOSSO PROJETO:


Réquiem para o Cerrado – O Simbólico e o Real na Terra das Plantas Tortas

Uma linda e singela história do Cerrado. Em comovente narrativa, o professor Altair Sales nos leva à vida simples e feliz  no “jardim das plantas tortas” de um pacato  povoado  cerratense, interrompida pela devastação do Cerrado nesses tempos cruéis que nos toca viver nos dias de hoje. 

COMPRE AQUI

CLIQUE NO ANÚNCIO PARA AJUDAR NOSSO PROJETO:
[instagram-feed] [instagram-feed]