Com uma variação aqui ou acolá, a moqueca de peixe tem origem na culinária indígena e é uma comida tradicional da cozinha brasileira. As mais famosas são a capixaba e a baiana, sendo que a baiana tem temperos mais fortes e a presença do azeite de dendê, hábito adquirido com os africanos que para cá foram trazidos sob regime de escravidão, no período colonial.

A receita que trazemos nesta edição não é nem uma nem outra, mas toma de empréstimo uma e outra, acrescenta o açafrão goiano e ainda junta um tiquinho da Ásia, para acentuar o sabor. Como cheguei até ela? Experimentando, ora bolas! E, podem apostar, é uma delícia!

Fundamental: deve ser preparada em panela de barro.

Ingredientes

1 kg de surubim cortado em postas (ou outro peixe sem espinhas)

1,5 kg de tomates bem maduros cortados em cubos

2 cebolas médias cortadas em cubos

1 colher de sopa de azeite de dendê

1 vidro de leite de coco

1 pimentão verde cortado em lasquinhas

1 folha pequena de louro

1 colher de sobremesa rasa de açafrão

1 colher de chá de colorau

1 pitadinha de curry

1 pitada de açúcar

2 dentes de alho bem amassados

Sal, pimenta-do-reino, pimenta-de-cheiro e malagueta (opcional), coentro e cebolinha a gosto

Farinha de mandioca o quanto baste

Modo de fazer

  1. Lave bem as postas de peixe, passe uma água fervendo e escorra rapidamente. Em seguida, tempere com sal, um pouquinho do alho, pimenta-do-reino e de cheiro (opcional), um pouco da cebola e do pimentão. Reserve.
  2. Na panela de barro, coloque o azeite de dendê, doure bem o alho restante. A seguir, junte o louro, o açafrão e a cebola, mexendo e deixando refogar até ficar com aparência vitrificada. Na sequência, o curry, o colorau, o açúcar, os tomates e o sal. Deixe cozinhar até que os tomates estejam quase desmanchados. Aí, coloque o restante do pimentão e as postas de peixe – uma a uma –, mergulhando-as inteiramente no molho. Deixe ferver, prove e corrija o sal, se preciso. Com uma concha, vá retirando o excesso de caldo e colocando em outra panela (de barro, se possível), para fazer o pirão. Quando o peixe estiver cozido, acrescente o leite de coco (reservando um pouco para o pirão), incorpore e polvilhe com coentro e cebolinha. Sirva bem quente, com arroz branco e pirão.

Pirão

Para o pirão, basta usar o caldo retirado durante o cozimento (se preciso, para aumentar, pode-se acrescentar um pouco de água, lembrando de conferir o sal), acrescentar leite de coco, pimenta-malagueta, coentro, cebolinha, e engrossar com farinha de mandioca, deixando cozinhar por cerca de 5 minutos.

Lúcia Resende
Professora

Salve! Este site é mantido com a venda de nossas camisetas. É também com a venda de camisetas que apoiamos a luta do Comitê Chico Mendes, no Acre, e a do povo indígena Krenak, em Minas Gerais. Ao comprar uma delas, você fortalece um veículo de comunicação independente, você investe na Resistência. Comprando duas, seu frete sai grátis para qualquer lugar do Brasil. Visite nossa Loja Solidária, ou fale conosco via WhatsApp: 61 9 9611 6826.

Anúncios

One Response

Comentários