Anúncios

Para quem amou, viveu e foi feliz defendendo os povos ribeirinhos da Amazônia, seu descanso final não poderia ter outro destino: no sábado, 15 de abril, as cinzas de Magnólio, o Palhaço da Floresta, foram jogadas no encontro das águas dos rios Amazonas e Tapajós, local por onde “Mag” sempre navegou.

 Magnólio de Oliveira, grande artista circense vai deixar saudades (Foto: Rerodução/Facebook)

Magnólio de Oliveira, grande artista circense vai deixar saudades. Foto: Rerodução/Facebook

O cidadão da floresta Paulo Roberto Sposito de Oliveira, conhecido do mundo todo como o palhaço Magnólio do Saúde e Alegria, falecido aos  67 anos de idade em dezembro de 2016 na cidade de São Paulo, onde se tratava de um câncer, voltou para seu descanso final no coração da floresta.

Em um evento festivo, como era a luta e a vida de Mag, familiares, companheiros e companheiras do Saúde e Alegria, amigos da Floresta e de fora dela, se reuniram em Santarém, no estado do Pará, para jogar as cinzas do grande palhaço da floresta no encontro das  águas dos rios Amazonas e Tapajós.

A cerimônia, organizada para este local onde “Mag sempre navegou, levando educação, saúde e alegria para as comunidades e movimentos sociais”, contou com  rodas de prosa, apresentações circenses e teatrais, exposições de fotografias, vídeos, música, e muita energia boa.

Magnólio fazia a diversão no Gran Circo Mocorongo do Saúde e Alegria (Foto: Rerodução/Facebook)Magnólio fazia a diversão no Gran Circo Mocorongo do Saúde e Alegria. Foto: Rerodução/Facebook. 

Quem foi Magnólio
Paulo Roberto Sposito Oliveira nasceu em São Paulo. Ganhou o apelido de Magnólio quando ainda era estudante. Por ter uma voz muito rouca, ele foi comparado a um personagem de novela com o mesmo timbre. Com o passar do tempo, o apelido virou hábito e Magnólio virou artista de circo, atuando e fazendo a alegria de muitos.

O artista era advogado, assistente social e professor de educação. Fazia doutorado em educação ambiental na Espanha. Era sobretudo, um educador. O time do coração, o Corinthians. Pai de duas filhas nascidas em Santarém.

Em 1989, Magnólio entrou para Centro de Estudos Avançados de Promoção Social e Ambiental, mais conhecido como Projeto Saúde e Alegria (PSA), uma Organização Não Governamental (ONG), cujo principal objetivo é promover o desenvolvimento sustentável em comunidades dos municípios Santarém, Belterra e Aveiro. No PSA atuou como integrante da coordenação geral do projeto e fazia a alegria no Gran Circo Mocorongo.

Programação

Sábado (15), 1º Encontro: Dom Frederico, próximo ao Estaleiro Gamboa, às 15h, na casa onde Magnólio morava. Saída em cortejo, passando pela Mendonça Furtado, rua dos Artistas, Praça São Sebastião, Orla até o palco da praça Mascotinho, em frente à Casa da Memória do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós (IHGTAP), onde Mag também morou.

2º Encontro: Casa da Memória e Palco da Praça do Mascotinho, às 17h , com saída dos B/Ms Gaia e Saúde e Alegria, com a família Oliveira e Oliveira e convidados para a cerimônia de entrega das cinzas no Encontro das Águas Amazonas/Tapajós.

Às 18h – Gran Circo Magnético, no elevado em frente à Casa da Memória -“Linha Imaginária”, com apresentações circenses e teatrais, exposições de fotografias e vídeos.

20h – Encerramento com Carimbó, Rock, Reggae e fala fraternas.

Magnólio, o grande palhaço da floresta. Foto: Caetano Scannavino

ANOTE AÍ:

Fonte originária dos conteúdos desta matéria: G1 Santarém (com edição de Zezé Weiss).

Anúncios

Comentários