O Descobrimento,  segundo Eduardo Galeano: “Em 1492, os nativos descobriram que eram índios, descobriram que viviam na América, descobriram que estavam nus, descobriram que deviam obediência a um rei e a uma rainha de outro mundo e a um deus de outro céu, e que esse deus havia inventado a culpa e o vestido e que havia mandado que fosse queimado vivo  quem adorasse o Sol e a Lua e a terra e a chuva que molha essa terra.”

Assim, em seu livro em formato de calendário, Os Filhos dos Dias (L&PM, 2012) o escritor latino-americano Eduardo Galeano retrata o significado do descobrimento da América para os povos originários do continente americano.

Na 4a capa, Galeano nos premia com um Você sabia

… que o episódio de Adão e Eva mordendo a maçã não aparece na Bíblia?

… que o grego Erastótenes mediu a cintura do mundo há dois mil  e trezentos anos e errou por apenas 90 quilômetros?

… que até 2008 Nelson Mandela integrava a lista de terroristas perigosos para a segurança dos Estados Unidos?

… que até 1990 a homossexualidade era considerada uma doença mental segundo a Organização Mundial da Saúde?

que ao enterro de Karl Marx compareceram 11 pessoas incluindo o coveiro?

… que a bicicleta foi, há um século, um instrumento de liberação feminina?

… que a cada duas semanas morre um idioma?

ANOTE AÍ:

Eduardo Galeano nasceu em Montevidéu em 13 de setembro de 1940 e faleceu também em Montevidéu em 13 de abril de 2015.

Desde 1973, viveu exilado na Argentina e na Espanha, na região da Catalunha. Para o Uruguai, regressou em 1985.

Na orelha de  Os Filhos dos Dias está escrito: “Galeano comete, sem remorsos, a violação de fronteiras que separam os gêneros literários. Ao longo de uma obra na qual confluem narração e ensaio, poesia e crônica, seus livros recolhem as vozes da alma e da rua, e oferecem uma síntese da realidade e sua memória.”

Autor da obra-prima As Veias Abertas da América Latina, é também de Galeano, uma das mais singelas e ao mesmo tempo mais profundas definição de Utopia:

A Utopia está lá no horizonte.
Me aproximo dois passos, ela se afasta dois passos.
Caminho dez passos e o horizonte corre dez passos.
Por mais que eu caminhe, jamais alcançarei.
Para que serve a Utopia?
Serve para isso: para que eu não deixe de caminhar“.

eduardo_galeano_para_que_serve_a_utopia_serve_para_isso_x40og8

Salve! Este site é mantido com a venda de nossas camisetas. É também com a venda de camisetas que apoiamos a luta do Comitê Chico Mendes, no Acre, e a do povo indígena Krenak, em Minas Gerais. Ao comprar uma delas, você fortalece um veículo de comunicação independente, você investe na Resistência. Comprando duas, seu frete sai grátis para qualquer lugar do Brasil. Visite nossa Loja Solidária, ou fale conosco via WhatsApp: 61 9 9611 6826

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.