fbpx

Sintego: 30 anos de luta por uma escola melhor

Há 30 anos, quando o SINTEGO nasceu, o Brasil vivia um momento alvissareiro para a educação e para a democracia. Em 05 de outubro, o povo brasileiro ganhava a sua primeira Constituição, depois dos anos de chumbo da ditadura (1964-1985)…

Por Bia de Lima 

Em 25 de novembro, durante o Congresso de Itumbiara, nascia o SINTEGO, com a missão de defender os interesses de toda a comunidade de profissionais da educação em Goiás, o que não era permitido pelas leis do regime militar, que restringiam a organização sindical somente a associações segmentadas de administrativos e professores.

De lá para cá, foram muitas as nossas lutas, as nossas conquistas! Difícil acreditar, mas foi da luta do SINTEGO e das organizações que vieram antes de nós, como o CPG (Centro dos Professores de Goiás), que vieram os concursos públicos, as políticas estaduais e nacionais de valorização dos profissionais da educação e, já no governo Lula, o Piso Salarial.

Temos muito orgulho da nossa história, porque afinal são três décadas de avanço na caminhada rumo a uma escola pública de qualidade, com estrutura adequada, um funcionalismo valorizado e, tão importante quanto, com mães e pais felizes por conseguirem matricular suas crianças em escolas boas, perto de suas casas.

Recebemos, com alegria, muitos depoimentos de funcionários administrativos, professores e diretores da nossa escola pública que falam da confiança dos familiares no trabalho de educadores em todos os municípios do nosso estado.

Sabemos que a qualidade do ensino passa sempre pelo investimento na formação e na valorização de nossos profissionais da educação por meio do respeito ao Piso e aos Planos de Carreira, resultado de nossa luta disciplinada, sistemática e diária ao longo de três décadas.

Travamos sempre o bom combate. Participamos de todas as grandes manifestações nacionais em defesa da educação e da democracia. Aqui em Goiás, pressionamos, fizemos e fizemos greve contra os governos de plantão sempre que nossos direitos foram ameaçados ou desrespeitados.

Nos últimos anos, lutamos muito contra a privatização e a militarização das escolas goianas, obsessão do governo Marconi que conseguimos, a duras penas, debelar. Agora, vivemos tempos de mudanças, infelizmente preocupantes. Em Goiás, contra a privatização de ensino e os atrasos de nossos salários. No Brasil, contra essa onda conservadora que insiste em amordaçar as liberdades conquistadas por nossos educadores e por nossa sociedade.

Como em toda nossa história, estamos em luta e em resistência, sempre com alegria e com fé, porque, como diz o poeta, “a fé não costuma faiá.”

Anúncios

Bia de Lima
Educadora. Presidenta do Sintego

Salve! Pra você que chegou até aqui, nossa gratidão! Agradecemos especialmente porque sua parceria fortalece  este nosso veículo de comunicação independente, dedicado a garantir um espaço de Resistência pra quem não tem  vez nem voz neste nosso injusto mundo de diferenças e desigualdades. Você pode apoiar nosso trabalho comprando um produto na nossa Loja Xapuri  ou fazendo uma doação de qualquer valor pelo PIX: contato@xapuri.info. Contamos com você! P.S. Segue nosso WhatsApp: 61 9 99611193, caso você queira falar conosco a qualquer hora, a qualquer dia. GRATIDÃO!


Réquiem para o Cerrado – O Simbólico e o Real na Terra das Plantas Tortas

Uma linda e singela história do Cerrado. Em comovente narrativa, o professor Altair Sales nos leva à vida simples e feliz  no “jardim das plantas tortas” de um pacato  povoado  cerratense, interrompida pela devastação do Cerrado nesses tempos cruéis que nos toca viver nos dias de hoje. 

COMPRE AQUI

 

 

Anúncios