fbpx

Chico Mendes, meu muito obrigado!

Por João Rezende

Vou erguer a bandeira da paz

Nesses versos que a alma revela

Quero ver a poesia da vida

E o amor refletidos na tela

Semear quantas flores puder

Abolindo os espinhos do mal

Quero ser portador da esperança

Dar exemplos por meu ideal

continua depois da propaganda

Fazer versos de luz e verdade

Ir além deste corpo animal

Em defesa do meio ambiente

(…)

Constrangidos com a banalidade

continua depois da propaganda

Publicada em todos os jornais

O extermínio de um ecologista

Empecilho de alguns anormais

Este tema por mim escolhido

É tributo ao bravo soldado

continua depois da propaganda

Grande mártir da ecologia

Chico Mendes, meu muito obrigado!

Grande mártir da ecologia

Chico Mendes, meu muito obrigado!

 

Em destaque o vermelho se expande

continua depois da propaganda

Pelo verde da nossa bandeira

No sinistro final desta era

Que confisca a paz brasileira

Que as abelhas da publicidade

Permaneçam sempre sem em evidência

continua depois da propaganda

Pra que a morte do ecologista

Não se afaste de nossa consciência

A razão está fora de uso

A justiça que o mundo recusa

Permanece no esquecimento

A consciência já nem mais acusa

Este tema por mim escolhido

É tributo ao bravo soldado

Grande mártir da ecologia

Chico Mendes, Meu muito obrigado!

Grande mártir da ecologia

Chico Mendes, Meu muito obrigado!

Salve! Pra você que chegou até aqui, nossa gratidão! Agradecemos especialmente porque sua parceria fortalece  este nosso veículo de comunicação independente, dedicado a garantir um espaço de Resistência pra quem não tem  vez nem voz neste nosso injusto mundo de diferenças e desigualdades. Você pode apoiar nosso trabalho comprando um produto na nossa Loja Xapuri  ou fazendo uma doação de qualquer valor pelo PIX: contato@xapuri.info. Contamos com você! P.S. Segue nosso WhatsApp: 61 9 99611193, caso você queira falar conosco a qualquer hora, a qualquer dia. GRATIDÃO!

 E-Book Caminhando na Floresta

Um livro imperdível sobre a experiência do autor na convivência com os seringueiros do Vale do Acre nos tempos de Chico Mendes.
COMPRE AQUI


 

continua depois da propaganda