“O genocida Witzel assassina mais um menino”

Kelvin trabalhava como motoboy. Com seu salário, comprou uma roupa e foi levar o pagamento para o vendedor…

Sob as ordens do governador Wilson Witzel, a polícia do Rio de Janeiro assassinou mais um menino, Kelvin Gomes, 17 anos, vítima de bala perdida em operação policial no Irajá, com policiais – autorizados perlo governador genocida – atirando em ambientes públicos.
Kelvin trabalhava como motoboy. Com seu salário, comprou uma roupa e foi levar o pagamento para o vendedor.
Até quando vão permitir esse genocídio?
Comentário de Valderlene:
Só corrigindo: não existem “balas perdidas” EXISTE AS BALAS DO FUZIL DISPARADAS PELO EXÉRCITO QUE MATARAM O MÚSICO EVALDO ROSA (Mais de 80 tiros foram disparados pelo exército contra o carro. EXISTE A BALA ASSASSINA QUE MATOU MARIELLE E ANDERSON POR MILICIANOS LIGADOS A POLÍCIA E A FAMÍLIA DE UM PRESIDENTE DA REPUBLICA. EXISTE A BALA ASSASSINA QUE MATA MILHARES DE JOVENS EM COMUNIDADES POR DIA CONTRA UM INIMIGO QUE TEM CLASSE SOCIAL E COR. TEM UM ESTADO OPRESSOR E ASSASSINO QUE TORTURA E MATA PESSOAS EM CARCERE PRIVADO COM APOIO DO MINISTRO DA JUSTIÇA DO PRESIDENTE E DA SOCIEDADE. O INIMIGO TEM COR (PRETO) E CLASSE SOCIAL (POBRE).
O ESTADO DO RIO TEM A POLICIA MAIS LETAL (5 PESSOAS EXECUTADAS PELO ESTADO POR DIA) DADOS DO ANUÁRIO DE SEGURANÇA PÚBLICA 2019. MAS ENGRAÇADO É O NÚMERO DE FEMINICÍDIO ALARMANTE E MORTES PROVOCADAS POR POLICIAIS ALARMANTES EM 2019 E DADOS TOTALMENTE ENGANADORES QUE A TAXA DE HOMICÍDIOS CAIU.
Foi registrado um caso de violência doméstica a cada dois minutos. As Polícias mataram 6,220 pessoas, número 19,6% superior ao registrado em 2017. Homem (99,3%), negro (75,4%) e jovem entre 15 e 29 anos (77,9%) é o padrão dos mortos pelas Polícias.
Fonte: Jornal GGN


 
 

 
 
 

continua depois da propaganda