“Não chora não, mãe.” Ketellen conforta a mãe antes de morrer baleada no Rio

Do Uol
 

Ketellen Umbelino de Oliveira Gomes, de 5 anos, morreu após ser baleada em uma troca de tiros. A Delegacia de Homicídios da Capital (DHC) está investigando as circunstâncias da morte, depois de tiros partirem de um carro que passava pela Praça da Cohab, em Realengo.

A menina de 5 anos Ketellen Umbelino de Oliveira Gomes confortou a mãe e tentou acalmá-la após ser atingida por um tiro em Realengo, na zona oeste do Rio de Janeiro. Ketellen foi levada a um hospital, ainda na tarde de ontem, mas não resistiu e morreu. O relato foi feito pela tia-avó Daisy da Costa.

“Ela tava caída no chão e a Jéssica [mãe] contou que ela dizia: ”Mãe, não chora não, mãe’. Aí ela voltou correndo para pedir socorro”, contou Daisy, no RJ1, jornal da TV Globo.

Ketellen ia para a escola com a mãe. Após ser baleada, ela foi atendida, passou por cirurgia, mas seu quadro piorou e ela morreu no começo da noite.

De acordo com a polícia militar, um carro passou pelo local e os tiros acertaram Ketellen. De acordo com a Polícia Militar do Rio, além de Ketellen, Davi Gabriel Martins do Nascimento, 17, também foi atingido e morreu no local.

(…)

Fonte: DCM

Block

Salve! Você pode apoiar nosso trabalho comprando um produto na nossa Loja Xapuri ou fazendo uma doação de qualquer valor pelo PIX: contato@xapuri.info. Contamos com você!

P.S. Segue nosso WhatsApp: 61 9 99611193, caso você queira falar conosco a qualquer hora, em qualquer dia. GRATIDÃO!

continua depois da propaganda
Block

Mais do que uma Revista, um espaço de Resistência. Há seis anos, faça chuva ou faça sol, esperneando daqui, esperneando dacolá, todo santo mês nossa Revista Xapuri  leva informação e esperança para milhares de pessoas no Brasil inteiro. Agora, nesses tempos bicudos de pandemia, precisamos contar com você que nos lê, para seguir imprimindo a Revista Xapuri. VOCÊ PODE NOS AJUDAR COM UMA ASSINATURA?

P.S. Segue nosso WhatsApp: 61 9 99611193, caso você queira falar conosco a qualquer hora, em qualquer dia. GRATIDÃO!

 

continua depois da propaganda