Quilombo Gurupá na sombra do arrozal

 Por: Fábio Zuker 

Esse curta-metragem acompanha uma reportagem especial sobre os impactos socioambientais da monocultura de arroz no Arquipélago do Marajó a partir da Comunidade de Remanescentes do Quilombo Gurupá, em Cachoeira do Arari, no Pará.

Apesar da distância que separa o quilombo das plantações de arroz, os efeitos são concretos: o quilombo está na foz do Rio Arari; a água captada pelas plantações é de lá retirada, causando seca nunca antes vista.

As comunidades também são impactadas pelo uso intensivo dos agrotóxicos nas fazendas de arroz. O vídeo mergulha também na história de violência do quilombo: sua origem, quando duas pessoas fugiram do trabalho escravo na Fazenda Santana para Gurupá, passando pelo clima de ameaças e medo que marcam a vida no local durante a colheita do açaí. Participam do curta-metragem as lideranças quilombolas Alfredo Neto Batista da Cunha, Maria de Fátima Gusmão Batista (na foto acima) e Rosivaldo Moraes Correa.

Agradecimentos: Comunidade de Remanescentes do Quilombo Gurupá, Rosivaldo Moraes Correa e Érica Monteiro, da Malungu (Associações das Comunidades Remanescentes de Quilombo do Pará)

Ficha técnica Direção: Fábio Zuker

Produção audiovisual: Cícero Pedrosa Neto

Montagem: César Nogueira

Mixagem de som: Paulo Marinho

continua depois da propaganda

Edição de conteúdo: Elaíze Farias

Edição de Fotografia: Alberto César Araújo

Coordenação geral: Kátia Brasil

Apoio: Repórteres sem Fronteiras

Realização: Amazônia Real

continua depois da propaganda

Cachoeira do Arari – Pará – 2020

Fonte: Amazônia Real

 

Block

Mais do que uma Revista, um espaço de Resistência. Há seis anos, faça chuva ou faça sol, esperneando daqui, esperneando dacolá, todo santo mês nossa Revista Xapuri  leva informação e esperança para milhares de pessoas no Brasil inteiro. Agora, nesses tempos bicudos de pandemia, precisamos contar com você que nos lê, para seguir imprimindo a Revista Xapuri. VOCÊ PODE NOS AJUDAR COM UMA ASSINATURA?

P.S. Segue nosso WhatsApp: 61 9 99611193, caso você queira falar conosco a qualquer hora, em qualquer dia. GRATIDÃO!

<

continua depois da propaganda

p style=”text-align: justify;”> 

continua depois da propaganda