Adélia Prado pulsa arte
Sonho, criatividade
Dos idos de 35
A verve da vitalidade
Artesã de prosa e verso
Multiversa a liberdade

Divinópolis, Minas Gerais
Onde cavalga o destino
No Grande Sertão: Veredas
Rosadélia, sol menino
Despertou o magistério
Na moça de traço fino

Nas plagas de Minas Gerais
À literatura se destina
Com a veia drummondiana
Engenhosidade de menina
Floresceu em sua alma
Arquitextura feminina

Idos dos anos 50
Tirou o ouro da mina
Surgem os primeiros versos
No raio da silibrina
Veio a saudade da mãe
Que a eternidade destina

Adélia casou-se com Freitas
Boa prole germinou
Filosofia, Ciências e Letras
Em Divinópolis estudou
Na estrada com Romano
E Drummond que avalisou

Affonso Romano de Sant’Anna
Para Drummond enviou
Os versos de Adélia Prado
Que a Imago publicou
Veio ao mundo Bagagem
A poesia transbordou

1975
Onde tudo começou
Na magia da escrita
Sua nascente brotou
A poesia de Adélia
Logo se frutificou

Prosa “Soltem os cachorros”
Adélia não mais parou
Com O Coração disparado
O Jabuti ela ganhou
Teatro, balé, histórias
Ao povo ela encantou

Traduzida em várias línguas
Em inglês e italiano
No idioma espanhol
De Cervantes, nosso arcano
E na língua de Camões
Dá seu toque soberano

O monólogo Dona Doida
Grande sucesso teatral
Com Fernanda Montenegro
Nossa atriz primordial
A maestria em cena
Com a intérprete magistral

Manuscritos de Felipa
José Siqueira adaptou
Tornou-se Dona de Casa
No palco disseminou
A poesia de Adélia
Nosso coração tocou

Tem o olhar amoroso
O toque da sutilidade
Com seu tom inovador
Cria luminosidade
A fé católica presente
Em sua vivacidade

Adélia da voz ao simples
Detalha o cotidiano
Valoriza a mulher
Viaja no altiplano
Mãe e dona-de-casa
O verso é seu arcano

Poeta, professora, filósofa
Gosta de contar história
A fé e o sentimento
Estão em sua trajetória
O sagrado, o religioso
Pelos campos da memória

80 anos de vida
Escritora sem igual
Recebe bela homenagem
Na III Bienal
Adélia em prosa e verso
É estrela universal

ANOTE AÍ:

gustavo_dourado-dzai-com-br

Gustavo Dourado é um dos maiores poetas-cordelistas do Brasil. Sua excelente e extensa produção literária pode ser encontrada em www.gustavodourado.com.br/cordel.htm.  Gustavo é também presidente da Academia de Letras de Taguatinga.

Foto do Gustavo Dourado: dzai.com.br

 

 

Salve! Este site é mantido com a venda de nossas camisetas. É também com a venda de camisetas que apoiamos a luta do Comitê Chico Mendes, no Acre, e a do povo indígena Krenak, em Minas Gerais. Ao comprar uma delas, você fortalece um veículo de comunicação independente, você investe na Resistência. Comprando duas, seu frete sai grátis para qualquer lugar do Brasil. Visite nossa Loja Solidária, ou fale conosco via WhatsApp: 61 9 9611 6826

Comentários

%d blogueiros gostam disto: