Tomé de Souza Belo, o “Seu Tomé”, nascido no ano da graça de 1935, partiu dos espaços deste mundo, para virar estrela nos jardins do céu, às 4 horas da manhã do dia 6 de novembro de 2017.

Morador do Retiro São Thiago, na Comunidade do Carvão, no município de Mazagão, no estado do Amapá, Seu Tomé deixa um vazio imenso no coração da esposa, Deusa Silva Belo, dos 15 filhos e filhas (12 biológicos e três adotivos) e de uma multidão de pessoas que, por décadas, militaram com ele em defesa das justas e necessárias causas das trabalhadoras e dos trabalhadores brasileiros.

Agricultor e ambientalista, Seu Tomé foi também um grande militante político. Fundou o PT e a CUT e tinha muito orgulho de ter recebido o sindicalista, depois presidente Lula, em sua comunidade, no momento da fundação dos Sindicatos em sua região e no Amapá. Foi fundador e presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais do Estado do Amapá e presidente da Associação dos Agricultores do Amapá, que antecede o Sindicato.

Foi também fundador das Escolas Família do Amapá, fundador e grande organizador da Escola Família Agroextrativista do Carvão, na comunidade onde vivia. “Na época, as pessoas não acreditaram muito, mas com o decorrer do tempo foram acreditando e só vem aumentando a procura pela escola. Começamos a fazer a alternância, de 20 dias escola e 15 nas casas dos pais. Quando foi em março, terminamos, e já tinham 32 alunos, e passamos a fazer duas turmas,” contava Seu Tomé com entusiasmo.

Em sua homenagem, a Escola do Carvão passará a se chamar Escola Família Agroextrativista Tomé de Souza Belo.

Comentários