Uma amizade genuína (com Jaime Sautchuk)

Quando me perguntaram sobre a principal ligação entre Jaime e eu, pensei logo na militância política. Mas foi um pensamento apressado. A afinidade ideológica foi apenas o alicerce da nossa principal ligação: a amizade.

Por Jorge Luiz de Souza

Uma amizade genuína porque foi construída sobre a convergência de ideais. E, enfatizo, ideais dos mais elevados, projetados na dimensão nada modesta de toda a humanidade. Mas a amizade neste caso ganha da afinidade política pela sua durabilidade. Sim, uma amizade do tipo resistente, que permaneceu quando nossas militâncias se distanciaram.

É claro que eu poderia dizer, alternativamente, que maior de tudo era a minha admiração pela inteligência e pelo talento dele. E é verdade. Que me desculpem os outros amigos que aqui me ouvem, mas Jaime era campeão nesses quesitos.

Mas aí vamos entrar numa lista interminável das qualidades que permanecerão vivas para sempre nas lembranças de todos que um dia cruzaram seu caminho e todos que no futuro tomarão conhecimento da sua obra imortal. Permaneceram intactos o diálogo honesto e a confiança mútua.

Pensando bem, o balanço que faço agora é que nunca divergimos no plano da ideologia, mas apenas na prática. É o que ficou. Descanse em paz, amigo.


Block

Assine a revista Xapuri Socioambiental e contribua para nosso projeto de resistência e solidariedade


 

continua depois da propaganda