Invictus: O poema que inspirou Nelson Mandela a cumprir, de cabeça erguida, seus mais de 27 anos de de prisão 

INVICTUS

Poema de William E. Henley
Tradução 
Zezé Weiss

Do fundo desta noite que me envolve,
Negra como um eterno e espesso breu,
Agradeço aos deuses, quaisquer que existam
Por minha alma, que não se subjuga.

Sob as garras cruéis das circunstâncias
Sob os golpes que o acaso atira e acerta,
Nunca me lamento – e, mesmo sangrando,
Mantenho  minha cabeça altiva, ereta.

Para além  deste tenebroso oceano de tormentas
Onde só se vislumbra o Horror das trevas,
Sequer  as ameaças terríveis do tempo
Jamais me amedrontam, nem me martirizam.

Não importa quão estreita seja a fresta,
Nem quão repleta de castigos a sentença,
Eu sigo sendo o mestre do meu destino;
Eu sigo sido sendo o capitão de minha alma.

POEMA ORIGINAL

Invictus

by William E. Henley

Out of the night that covers me,
Black as the Pit from pole to pole,
I thank whatever gods may be
For my unconquerable soul.

In the fell clutch of circumstance
I have not winced nor cried aloud.
Under the bludgeonings of chance
My head is bloody, but unbowed.

Beyond this place of wrath and tears
Looms but the Horror of the shade,
And yet the menace of the years
Finds, and shall find, me unafraid.

It matters not how strait the gate,
How charged with punishments the scroll,
I am the master of my fate;
I am the captain of my soul.

Invictus” é um pequeno poema vitoriano de autoria do poeta inglês William Ernest Henley (1849–1903).

Foi escrito em 1875 e inicialmente publicado em 1888. no Book of Verses de Henley, no qual ele era o quarto de uma série de poemas intitulados Life and Death (Echoes)Originalmente não possuía título: as primeiras edições continham apenas a dedicatória To R. T. H. B.—uma referência a Robert Thomas Hamilton Bruce (1846–1899), um escocês mercador de farinha e padeiro de sucesso e também um mecenas literário.

O poema dá nome ao filme Invictus de 2009, do realizador Clint Eastwood, sobre a liderança de Nelson Mandela, e a relevância do apoio aos Springboks no campeonato do mundo de Rugby de 1995.

Parte do poema foi citado na famosa série de TV estadunidense Buffy the Vampire Slayer (Buffy – A caça vampiros em português), no episódio 10 da sétima temporada “Bring On the Night”, quando o Presidente do Conselho das Caças-Vampiro cita o último verso do poema antes de morrer numa explosão que destrói todo o prédio sede da organização.

O poema também aparece na letra de uma música da cantora estadunidense Lana Del Rey intitulada Lust for Life (canção de Lana Del Rey) com parceria de The Weeknd para o álbum homônimo lançado no dia 21 de julho de 2017.

Na série de TV norte-americana The Blacklist o poema é lido por Raymond “Red” Reddington para Elizabeth Keen no episódio 08 da quinta temporada intitulado “Ian Garvey”, enquanto Lizz se recupera dos eventos que aconteceram neste mesmo episódio.

Fonte: pt.wikipedia

Salve! Este site é mantido com a venda de nossas camisetas. É também com a venda de camisetas que apoiamos a luta do Comitê Chico Mendes, no Acre, e a do povo indígena Krenak, em Minas Gerais. Ao comprar uma delas, você fortalece um veículo de comunicação independente, você investe na Resistência. Comprando duas, seu frete sai grátis para qualquer lugar do Brasil. Visite nossa Loja Solidária, ou fale conosco via WhatsApp: 61 9 9611 6826.

 

Comentários

%d blogueiros gostam disto: