Na solidão repousada
No amargo sal do silêncio
No pantanal enfermiço
Da alma desesperada
Nasce, em mistério, um Menino
E seu vagido me manda
Trabalhar a madrugada…

23 de dezembro de 1963.

 

In Obra Completa de Newton
Navarro

Foi um dramaturgo, poeta, desenhista e pintor brasileiro. Filho de Elpídio Soares Bilro e Celina Navarro Bilro. Em suas pinturas e obras retratava sobretudo os bairros Redinha e Ribeira/Santos Reis, o rio Potengi e os pescadores.

Em sua homenagem, foi dada o nome dele, a maior e mais alta ponte estaiada do Nordeste, a Ponte Newton Navarro, ligando justamente o bairro da Redinha ao bairro da Ribeira/Santos Reis esse como outros poetas tiveram suas homenagens.

Foi aluno dos Colégios Santo Antônio e Atheneu Norte-rio-grandense, posteriormente da Faculdade de Direito do Recife, mas não concluiu o curso. Freqüentou curso livre de pintura naquela capital, onde conviveu com artistas como Lula Cardoso Ayres, Hélio Feijó e Reinaldo Fonseca. Participou do I Salão de Arte Moderna do Recife, em 1948, no mesmo ano realizando sua primeira mostra em Natal. Em 1951 foi a Buenos Aires e em 1964, a Paris.

Em 1966 tornaria à Europa, expondo em Lisboa. Além de artista plástico, foi poeta, contista, cronista e teatrólogo. Colaborou n’A República, Diário de Natal e Tribuna do Norte e publicou os seguintes livros:. Subúrbio do Silêncio (poesias, 1953); Solitário Vento do Verão (contos, 1961); 30 Crônicas não-selecionadas (crônicas, 1563); Beira-Rio (crônicas, 1970); Os Mortos São Estrangeiros (contos, 1970); De Como se Perdeu o Gajeiro Curió (novela, 1974); Do Outro Lado do Rio, Entre os Morros (sem indicação) e ABC do Cantador Clarimundo (poesias). Produziu, ainda, álbuns de gravuras e peças teatrais. Pertencia à Academia Norte-rio-grandense de Letras. Foi o mentor e primeiro diretor da Escolinha de Artes Cândido Portinari, da Fundação José Augusto, hoje tendo o seu nome.

Fonte: Guia das Artes

Salve! Este site é mantido com a venda de nossos produtos. É, também, com um percentual dessas vendas, que apoiamos a luta do Comitê Chico Mendes, no Acre, do povo Krenak, em Minas Gerais, do Museu Kalunga Iaiá Procópia, em Goiás e do povo Xavante, no Mato Grosso. Ao comprar em nossa Loja Xapuri, você fortalece um veículo de comunicação independente, você investe na Resistência. Contamos com você! WhatsApp: 61 9 99611193.

Comentários

%d blogueiros gostam disto: