Rosário de minha mãe – No seu rosário de contas/apodera-se do destino/conta um rio/canta a vida/flores miúdas/sempre-vivas!

Por Rejane Araújo 

Minha mãe apreensiva
lê a sina.
As cartas desvelam
desdizem o fado.

Minha mãe olha pela fresta
vê as tranças do tempo
cabeleiras vermelhas
fios entrelaçados.

Vê as antepassadas
vestidas de negro
os peitos
fartos de leite
exortam à vida.

Minha mãe canta
cantigas de sortilégios
de encantar palavras.

A bem dizer:
– Vida que rebenta o grão
traz memória da raiz!

No seu rosário de contas
apodera-se do destino
conta um rio
canta a vida
flores miúdas
sempre-vivas!

Rejane Araújo, Arte-Educadora e Arte terapeuta Junguiana, paraibana de Lagoa de Cozinha, descobriu no cerrado uma beleza rústica e apaixonante. Escreve como forma de falar da multiplicidade da vida, de expressar as vozes que habitam o mais profundo do seu ser e de possibilidades e impossibilidades. É parceira da ALANEG/RIDE – Academia de Letras e Artes do Nordeste Goiano e da Região Integrada de Desenvolvimento do Entorno de Brasília-DF.

Salve! Pra você que chegou até aqui, nossa gratidão! Agradecemos especialmente porque sua parceria fortalece  este nosso veículo de comunicação independente, dedicado a garantir um espaço de Resistência pra quem não tem  vez nem voz neste nosso injusto mundo de diferenças e desigualdades. Você pode apoiar nosso trabalho comprando um produto na nossa Loja Xapuri  ou fazendo uma doação de qualquer valor pelo PIX: contato@xapuri.info. Contamos com você! P.S. Segue nosso WhatsApp: 61 9 99611193, caso você queira falar conosco a qualquer hora, a qualquer dia. GRATIDÃO!

continua depois da propaganda

 

continua depois da propaganda