Rafael Ribeiro

Lula sobe, Moro desce na opinião pública.

A cada dia que passa aumenta a solidariedade a ele, no Brasil e no mundo. Nunca se falou tanto em Lula como agora. Até no horário nobre da Globo num programa campeão de audiência a vencedora do concurso gritou “Lula livre”. Até a neta de um jornalista que apoiou o impeachment e a prisão de Lula foi filmada gritando “Lula livre”. Por ele mesmo.

A cada dia que passa cresce a ideia de que aquele tríplex mequetrefe exposto pelo MTST não pode condenar ninguém a 12 anos de cadeia.

Não são mais só petistas ou esquerdistas que ficam indignados com a sentença inquisitorial, mas todos os que não compactuam com injustiças.

Exposto ao sol – segundo alguns, “o melhor detergente” – o processo de Moro revela-se uma coleção de ilações, ilegalidades e acusações sem provas nem elos, que tende a ser anulado nas instâncias superiores.

Os fatos demonstram que essa condenação apressada (dois anos) e inconsistente (não prova corrupção) serviu a apenas um propósito definido, tirar Lula das eleições deste ano.

E só quem pode derrotar esse plano anti-democrático é o STF.

Só falta o STF gritar “Lula livre”.

ANOTE AÍ:
ALEX SOLNIK Alex Solnik é jornalista. Já atuou em publicações como Jornal da Tarde, Istoé, Senhor, Careta, Interview e Manchete. É autor de treze livros, dentre os quais “Porque não deu certo”, “O Cofre do Adhemar”, “A guerra do apagão” e “O domador de sonhos”

Matéria original: https://www.brasil247.com/pt/blog/alex_solnik/352248/S%C3%B3-falta-o-STF-gritar-%E2%80%9CLula-livre%E2%80%9D.htm

Anúncios

Comentários

X
%d blogueiros gostam disto:
preloader