É preciso ‘dinheiro novo’ para ajudar o povo e combater o coronavírus, diz Lula

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta quinta-feira (16) que é preciso “rodar dinheiro novo”, garantindo renda para que a população possa ficar em isolamento e fortalecer o sistema público de saúde no combate à pandemia de coronavírus. Ele criticou o governo Bolsonaro pela falta de coordenação com os estados, e disse que os recursos anunciados não chegam aos governadores.

Lula também criticou o ministro da Economia, Paulo Guedes, pela rapidez com que garantiu R$ 1,2 trilhão para salvar instituições financeiras, enquanto demorou a liberar recursos para o pagamento do auxílio emergencial a trabalhadores autônomos, informais e desempregados.

As declarações foram dadas ao jornalista Mário Kertész, para o jornal Bahia no Ar, da Rádio Metrópole. Ele também criticou o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, que “sempre foi contra o SUS” e a favor da privatização da saúde. Também foi um dos responsáveis pelo fim do programa Mais Médicos, que culminou com a saída do Brasil dos médicos cubanos.

Dinheiro novo
“Tem que rodar dinheiro novo. Se o orçamento já não dava quando estamos em tempos de normalidade, em tempo de coronavírus, a gente tem que colocar a máquina para rodar dinheiro. O Brasil não tem que ter medo de colocar 300 bilhões novos. Não vai criar inflação nenhuma. Vai apenas alargar a base monetária. É fazer dinheiro para utilizar com o povo, que está numa crise medonha”, defendeu o ex-presidente.

Ele afirmou que em “situações de guerra”, não é hora de se preocupar com a dívida interna. Citou o caso do Estados Unidos, que ampliaram o déficit, durante a 2ª Guerra Mundial não apenas para vencer o conflito, como também para viabilizar o New Deal, plano para reativar a economia. No Brasil, Lula citou que, durante a Guerra do Paraguai (1864-1870), foi gasto o equivalente a 11 vezes o orçamento anual daquele período.

Capitão do Naufrágio
Pelas redes sociais, Lula comparou a atuação de Bolsonaro frente à crise do coronavírus à do capitão do Titanic, navio que afundou no Oceano Atlântico, em 1912, depois de bater num bloco de gelo.

Lula

@LulaOficial

Diante do esforço no combate à pandemia, Lula afirmou, na entrevista, que os poderes da República e as três esferas de governo – União, estados e municípios – devem atuar em sintonia, tal qual uma orquestra. Mas Bolsonaro, que deveria ser o “maestro”, continua criando conflito.

“O papel do presidente é respeitar as instituições e os entes federados, estabelecendo uma política de convivência harmônica e pacífica para que o Brasil possa dar certo. Um presidente não pode ficar brigando todo dia, toda hora, com todo mundo. Bolsonaro tem que governar esse país e deixar de ser ignorante, para fazer as coisas que têm que ser feitas.”

Nordeste
Lula disse ainda que Bolsonaro deve respeitar a população do Nordeste, em vez de tentar retaliar politicamente a região. “Não é possível um presidente determinar na sua cabeça que o Nordeste é inimigo só porque perdeu as eleições. Não é possível o tratamento desrespeitoso com os governadores da região. Dá menos dinheiro do Bolsa Família, menos recursos para combater o coronavírus, por uma bobagem de uma perseguição política.”

Por conta dessas dificuldades, Lula saudou as ações que vem sendo desenvolvidas pelo Consórcio do Nordeste, que reúne os governadores da região para a elaboração de políticas públicas integradas.

Mandeta e Guedes
“Agora a gente está vendo uma briga entre o ministro da Saúde e o presidente, mas esse ministro sempre foi contra o SUS. Foi o responsável por mandar os médicos cubanos embora, acabando com o Mais Médicos. Era um privatista do sistema de saúde”, disse Lula sobre Mandetta.

Sobre o ministro da Economia, o ex-presidente disse que Paulo Guedes foi ágil para atender os bancos e agências de investimento, aprovando a liberação de R$ 1,2 trilhão em recursos. “Se o dinheiro demora tanto tempo para chegar na mão do pobre, por que é que chega com tanta rapidez na mão dos banqueiros? Historicamente acontece isso. É tudo para os ricos e nada para os pobres.”

Fonte: BBC via Blog do Esmael

Salve! Este site é mantido com a venda de nossas camisetas. É também com a venda de camisetas que apoiamos a luta do Comitê Chico Mendes, no Acre, e a do povo indígena Krenak, em Minas Gerais. Ao comprar uma delas, você fortalece um veículo de comunicação independente, você investe na Resistência. Comprando duas, seu frete sai grátis para qualquer lugar do Brasil. Visite nossa Loja Solidária, ou fale conosco via WhatsApp: 61 9 99611193.

Comentários

%d blogueiros gostam disto: