Parafraseando Bertolt Brecht:

“Como eu não me importei com ninguém, Ninguém se importa comigo” 

Por Isabella Pope 

O texto abaixo é uma dessas coisas interessantes que surgem nos grupos de whatsszap, com crédito atribuído a uma ou outra pessoa, sem que seja possível verificar sua autenticidade. Ressalva feita, publicamos aqui o que encontramos, porque pode ser útil para a reflexão neste momento difícil da nossa conjuntura humana e nacional.

Primeiro declarou que preferia ter filho morto, a ter um filho gay, mas eu não me importei com isso. Eu não era um homosexual. Em seguida disse que negro não serve nem pra procriar, mas eu não importei com isso. Eu também não era negro.

Aí falou que a filha mulher nasceu por causa de uma fraquejada, mas eu não me importei com isso. Todo mundo fala umas besteiras. Então declarou publicamente apoio a um torturador, mas eu não me importei com isso. Eu nunca fui torturado.

Em seguida, bradou que a ditadura matou foi pouco, “deveria ter sido uns 30 mil.” Mas eu também não me importei com isso. Seus apoiadores debocharam de uma vereadora assassinada, mas eu não me importei com isso. Eu não a conhecia.

Seu parceiro afirmou acabar com 13o e férias, mas eu não acreditei nisso, pois ele nunca seria capaz. Por fim, me prometeu armas no lugar de emprego, pois assim eu estaria protegido.

Agora, eles estão gritando que vão matar “viado”. Agora, eles estão matando negros a facadas. Agora, eles estão protestando, Dando tiros para o alto Eu continuo não me importando.

Então eles cortaram meus direitos E me impediram de reclamar Aumentaram meus impostos E me ameaçaram se reclamar Levaram parentes e amigos E eu serei o próximo a quem irão levar

Mas já é tarde Como eu não me importei com ninguém Ninguém se importa comigo.

Texto atribuído a Isabella Pope, nos grupos de zap.

 

 

One Response

  1. Marilia

    ” como não me importei. . .” – O.texto original não é de Brecht, mas de autor brasileiro.

    Responder

Comentários

%d blogueiros gostam disto: