Educação Ambiental e Cidadania –

Por Vinicius Borges –

Podemos entender a Educação Ambiental (EA) como uma prática social que leva o indivíduo a desenvolver, para melhor, sua relação com a natureza e com os outros seres humanos. Essa prática, de um tempo para cá, vem ganhando espaço nas discussões entre cientistas, políticos, cidadãos comuns e, de forma especial, nas escolas.

Segundo autores como Jacob (2003) apud Silva (2008), a EA deve estruturar-se como um elemento determinante na formação do sujeito cidadão, assim devendo haver uma conexão direta entre a natureza em si e as questões econômicas, sociais, políticas e éticas, pois sabe-se que boa parte dos problemas ambientais é devida à miséria gerada pela má distribuição de renda, desemprego e outros problemas de ordem social. Dessa forma, pode-se notar que a conexão Cidadania-Educação Ambiental solicita uma transformação de valores morais quanto à forma de ver o mundo e os homens (JACOB, 2003, apud SILVA, 2008).

Essa intrínseca relação Cidadania-Educação Ambiental pode ser observada e tida como um exemplo a ser seguido da Finlândia, país da Europa Setentrional. Cerca de 76% do território finlandês é coberto por florestas e a prática da silvicultura sustentável tem se desenvolvido de forma sistemática. Para esta prática sustentável, o país leva em conta aspectos econômicos, ecológicos e sociais, e tal fato tem demonstrado resultados incríveis: o crescimento no número de árvores plantadas tem sido entre 20% e 30% maior ao número de cortes, fazendo do país um local “super verde” e com a maior quantidade de árvores em crescimento da sua história.

Como a EA e a Cidadania estão intimamente ligadas, torna-se inegável o fato de a Finlândia estar entre os melhores países do mundo para se viver, com um IDH altíssimo e políticas públicas que favorecem os cidadãos em todos os aspectos, valendo-se a pena destacar o fato de ter um dos melhores sistemas de ensino do mundo e ser um dos países menos corruptos.

Ao vermos exemplos como este supracitado, temos impregnado em nossa mente que vivemos em um sistema, onde cada uma das partes, o econômico, o social, o ético, o político, o ambiental, os subsistemas, podemos assim chamar, está interligada à outra e todas elas devem funcionar de maneira correta para que tenhamos uma vida saudável.

Infelizmente, em nosso país, ainda é possível notar um grande distanciamento e mau funcionamento de cada um destes subsistemas, especialmente quando falamos sobre o subsistema político, o qual interfere de maneira especial em todos os outros. Apesar de parecer impossível, ainda há chances de mudanças, pois situações difíceis como a que está sendo vivida no Brasil, também já foram enfrentadas por outros países que hoje são exemplos para todo o mundo, como o caso da Coréia do Sul, onde antigamente era apenas uma Coréia e que, por causa da Guerra Fria, apartou-se em duas, Coréia do Norte e Coréia do Sul, foi devastada por uma guerra e tendo a educação como base, conseguiu uma transformação inimaginável na sociedade e no meio ambiente, conservando um rio de água límpida e pura no meio de Seul, uma cidade com mais de 10 milhões de habitantes, em pleno século XXI.

Referências:

SILVA, Fernanda Valéria Pinto da. A educação ambiental na formação da cidadania. 2008. 20 f: Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação)-Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix, Belo Horizonte, 2008.

ANOTE AÍ:

 

 

Vinicius Borges – Graduando de Geografia. Professor. Matéria enviada via contato@xapuri.info. O conteúdo é de responsabilidade de nosso contribuinte voluntário.

 

Anúncios

Comentários

X
%d blogueiros gostam disto:
preloader