Seca no estado de Tocantins afeta a vida de humanos como também de animais

Aqui em Formoso do Araguaia, no estado do Tocantins, muito se discute atualmente sobre a falta de água no Brasil e no mundo, mas o que alguns se esquecem de comentar, é que a seca não impacta somente a vida dos seres humanos. A vida animal também é afetada.

Quando a água escasseia, muitos animais silvestres tornam-se presas fáceis em regiões ocupadas por fazendeiros. Como? Bem, eles precisam de água para sobreviver e, algumas vezes, a sede é tão grande que acabam se aproximando demais das casas dos humanos, situação que com frequência é aproveitada pelos caçadores da região.

Outra fonte de perigo são os poços de água que se formam na época de chuva, e que vão secando aos aos poucos, fonte de água para matar a sede da fauna local. Basta ficar um tempo parado entre os galhos de alguma árvore para avistar os animais que se aproximam, sedentos por água. Mesmo sentindo a ameaça humana há poucos metros, a sede é maior. E, incautos, encontram ali a sua morte.

Nesses poços, sempre vejo muitos animais e, com frequência, tiro fotos de todos eles, para que suas belas imagens fiquem preservadas através da arte da fotografia. O que me entristece o coração, é que não é sempre um “tiro” de foto que eles recebem. Por aqui é comum a caça predatória e desumana desses animais.

E, pior: não são somente os fazendeiros locais que os abatem. As mortes se dão também por conta das armas de visitantes das fazendas dos alredores, já que por aqui a fiscalização nas estradas está muito abaixo do que é realmente preciso para proteger a nossa flora e a nossa fauna.

Ao conversar um pouco com os moradores locais, logo começam as histórias de como a matança dos nossos animais pelos seres humanos que por ali transitam é cruel e sem misericórdia. Matam até mesmo quando o tiro não é certeiro, deixando o animal se exaurir aos poucos, até se tornar comida de urubus.

Por meio do site da revista Xapuri, compartilho, a título de denúncia, algumas fotos clicadas por mim aqui na região de Formoso do Araguaia. Com isso, espero fazer com que a população saiba um pouco mais sobre os impactos negativos da caça predatória, e, assim, se preocupe e se mobilize para chamar a atenção dos órgãos responsáveis para a importância de proteção aos nossos indefesos animais silvestres.

A natureza aqui é linda, abençoada com uma fauna e flora de encher os olhos, mas que precisa de nossa ajuda para seguir existindo. Vamos preservar!
quatiizatelatavares

 

cervo2izaletetavares

caitituizatelateles

ANOTE Aí:

Este texto é uma contribuição da Izalete Tavares, de Porangatu, no estado de Goiás. Mais imagens da Izalete podem ser visualizadas no seu Flickr. Quer contribuir também? Mande o seu texto e suas fotos para contato@xapuriinfo.dream.press.

Comentários

%d blogueiros gostam disto: