Henfil: 30 anos sem o nosso rebelde do traço –

Hoje, Dia do Hemofílico, é também o dia que o país perdeu em 1988 um grande brasileiro, Henrique de Souza Filho, o Henfil. Como outros dois de seus irmãos — o sociólogo Betinho e o músico Chico Mário, herdou da mãe a hemofilia. Após uma transfusão de sangue, Henfil, acabou contraindo o vírus da AIDS. Ele faleceu vítima das complicações da doença no auge de sua carreira. Criador da revista Fradim, Henfil imortalizou seus personagens, os fradinhos Cumprido e Baixim, a Graúna, o Bode Orelana, o nordestino Zeferino e, mais tarde, Ubaldo, o paranoico. Henfil fez também cinema, teatro, televisão (trabalhou na Rede Globo, como redator do extinto programa TV Mulher) e literatura, mas ficou marcado mesmo por sua atuação nos movimentos sociais e na luta contra a ditadura militar.

Este post de Florestan Fernandes Jr. no Facebook nos faz lembrar que em 2018, completamos 30 anos sem Henfil, o nosso valente rebelde do traço. Para homenageá-lo, neste 4 de janeiro publicamos alguns pensamentos seus, compilados pelo site Pensador ainda atuais nesses tempos bicudos que nos toca viver.

Enquanto acreditarmos em nossos sonhos, nada será por acaso.”

Enquanto os sábios pensam sem certeza, os idiotas atacam de surpresa.

“Se não houver frutos, valeu a beleza das flores; se não houver flores, valeu a sombra das folhas; se não houver folhas, valeu a intenção da semente.”

Viver é uma tarefa urgente, porque amanhã é uma coisa que não dá pra pensar, não dá pra fazer planos, hoje é urgente, amanhã é a morte, ontem, graças a Deus, teve ontem!

Por muito tempo, eu pensei que a minha vida fosse se tornar uma vida de verdade. Mas sempre havia um obstáculo no caminho, algo a ser ultrapassado antes de começar a viver, um trabalho não terminado, uma conta a ser paga. aí sim, a vida de verdade começaria.  Por fim, cheguei à conclusão de que esses obstáculos eram a minha vida de verdade.  Essa perspectiva tem me ajudado a ver que não existe um caminho para a felicidade.  A felicidade é o caminho! Assim, aproveite todos os momentos que você tem.  E aproveite-os mais se você tem alguém especial para compartilhar, especial o suficiente para passar seu tempo; e lembre-se que o tempo não espera ninguém. Portanto, pare de esperar até que você termine a faculdade; até que você volte para a faculdade; até que você perca 5 kg; até que você ganhe 5 kg; até que seus filhos tenham saído de casa; até que você se case; até que você se divorcie; até sexta à noite até segunda de manhã; até que você tenha comprado um carro ou uma casa nova; até que seu carro ou sua casa tenham sido pagos; até o próximo verão, outono, inverno; até que você esteja aposentado; até que a sua música toque; até que você tenha terminado seu drink; até que você esteja sóbrio de novo; até que você morra; e decida que não há hora melhor para ser feliz do que agora mesmo… Lembre-se: felicidade é uma viagem, não um destino.

Foto: Roling Stones Brasil

Anúncios

Comentários

X
%d blogueiros gostam disto:
preloader