HOMENAGEM: Nelson Sargento (1924-2021) “agoniza mas não morre”

Sambista, mangueirense, crioulo, gigante, Nelson Sargento morreu nesta quinta-feira (27), aos 96 anos, por Covid-19…

Por Murilo Mendes / Foco Coletivo

Dizem que o “jovem de grande valor”, citado por Cartola no samba “Fiz por você o que pude”, é Nelson Sargento. Entendo que não há glória maior do que a de ser homenageado em samba pelo divino Cartola. E, com o mesmo sangue na veia, Nelson Sargento seguiu. Com maestria empunhou o pavilhão verde e rosa. Cartola ao final do labor, do astral, com certeza, vive a sorrir.

É engraçado, dessas coincidências que a vida nos prega. Dias atrás estava escutando um disco que fazia tempo que não punha para rodar. No disco de estreia do cantor paulista Tuco Pelegrino (“Peso é Peso” – 2010), Nelson dá uma rateada e esquece um pedaço da letra do samba em que responde, justamente, o samba citado acima. No final da gravação, Nelson Sargento pede desculpas e completa: “Tem horas que a emoção trai a gente. Acontece né?!”

Eu poderia falar aqui da importância do Nelson Sargento, “a mais alta patente do samba” para a Mangueira e o samba em geral, exaltar que talvez ele seja o último elo com as primeiras gerações das escolas de samba, falar dos grupos que ele integrou, como Os quatro crioulos (com Paulinho da Viola, Anescarzinho do Salgueiro e Elton Medeiros), ou exaltar que é dele o grande hino do sambista brasileiro. Nelson Sargento é gigante. Tem tanta coisa que daria para falar dele, mas tem horas que a emoção, trai a gente.

Vai na paz meu professor. Com você a gente aprendeu que o morro é um encanto de paisagem, que a gente agoniza, mas não morre, etc. Resistiremos. Como você sempre nos ensinou.

Aqui, o lindo samba do Operário, de Alfredo Português, Cartola e Nelson Sargento:

Samba do Operário

Se o operário soubesse
Reconhecer o valor que tem seu dia
Por certo que valeria
Duas vezes mais o seu salário

Mas como não quer reconhecer
É ele escravo sem ser
De qualquer usurário

Abafa-se a voz do oprimido
Com a dor e o gemido
Não se pode desabafar

Trabalho feito por minha mão
Só encontrei exploração em todo lugar

 

Assista à homenagem da Mangueira a Nelson Sargento, no seu último aniversário

 

Fonte: Jornalistas Livres

CLIQUE NO ANÚNCIO PARA AJUDAR NOSSO PROJETO:

Sobre o Autor


Salve! Pra você que chegou até aqui, nossa gratidão! Agradecemos especialmente porque sua parceria fortalece este nosso veículo de comunicação independente, dedicado a garantir um espaço de Resistência pra quem não tem vez nem voz neste nosso injusto mundo de diferenças e desigualdades. Você pode apoiar nosso trabalho comprando um produto na nossa Loja Xapuri ou fazendo uma doação de qualquer valor pelo PIX: contato@xapuri.info. Contamos com você! P.S. Segue nosso WhatsApp: 61 9 99611193, caso você queira falar conosco a qualquer hora, a qualquer dia. GRATIDÃO!


Revista Xapuri

Mais do que uma Revista, um espaço de Resistência. Há seis anos, faça chuva ou faça sol, esperneando daqui, esperneando dacolá, todo santo mês nossa Revista Xapuri leva informação e esperança para milhares de pessoas no Brasil inteiro. Agora, nesses tempos bicudos de pandemia, precisamos contar com você que nos lê, para seguir imprimindo a Revista Xapuri. VOCÊ PODE NOS AJUDAR COM UMA ASSINATURA?

ASSINE AQUI

CLIQUE NO ANÚNCIO PARA AJUDAR NOSSO PROJETO:
[instagram-feed]
[instagram-feed]