Essa lenda conta sobre a amizade entre um sapo e uma cobra e faz analogia aos costumes e preconceitos sociais

Certo dia, um sapo estava caminhando e avistou um animal fino, comprido e brilhante. O sapo perguntou:
— Oi! que você faz estirada pela estrada?
A cobra respondeu:
— Estou tomando um solzinho. Sou uma cobra, e você?
— Eu sou um sapo. Você gostaria de brincar?
A cobra aceitou, e eles brincaram a tarde toda. A cobra ensinou o sapo a rastejar e subir nas árvores, e o sapo ensinou a cobra a pular. Eles se divertiram muito e, ao final do dia, cada um foi pra sua casa, prometendo se encontrarem no dia seguinte.
Quando o sapo encontrou sua mãe, contou o que tinha acontecido, que conheceu uma cobrinha e ficaram amigos. Sua mãe não gostou e falou:
— Você devia saber que a família da cobra não é legal. Eles são venenosos! Não quero mais que brinque com cobras e nem rasteje por aí!
A cobra quando chegou em casa mostrou à sua mãe que sabia pular e disse que foi o sapo que lhe havia ensinado. Sua mãe também não gostou e disse:
— Nós cobras não temos amizade com sapos, eles servem apenas como comida. Não quero que brinque com o sapo. E pare de pular!
Quando se encontraram, a cobra pensou em devorar o sapo, mas depois se lembrou daquela tarde de brincadeiras e correu para o mato.
A partir de então eles não brincaram mais, mas sempre ficam estirados no sol pensando no dia em que foram amigos.

Fonte: Extraída do site https://www.todamateria.com.br

Comentários

%d blogueiros gostam disto: