Cruviana: Lenda Indígena contada no Piauí – Contam os mais antigos, desde a época em que os índios habitavam o Piauí, que a Cruviana aparece comumente em noites frias do nosso estado. Sua presença normalmente é indicada por um vento muito gelado, que percorre as ruas durante a madrugada.

Por José Gil Barbosa Terceiro/Causos Assustadores do Piauí

Contam os mais antigos, desde a época em que os índios habitavam o Piauí, que a Cruviana aparece comumente em noites frias do nosso estado. Sua presença normalmente é indicada por um vento muito gelado, que percorre as ruas durante a madrugada.

Os índios consideravam Cruviana a deusa do vento e da neblina, que à noite se transforma em uma suave brisa, acompanhada de nevoeiro, e diziam que esta, quando encontrava um forasteiro nas terras escolhidas para abençoar com a sua presença, envolvia este, encantando-o, fazendo com que nunca mais quisesse voltar à sua terra natal, permanecendo para sempre no lugar.

A divindade seria, assim, a deusa do vento, esposa do amanhecer. Não é a toa que em muitas cidades sucede uma brisa noturna e nevoeiro altas horas da madrugada, que, por vezes, dura até as primeiras horas da manhã. É aí que a deusa se mostra em ato de amor junto a seu marido.

Em um post no perfil do facebook de Evonaldo Andrade, escritor piripiriense, Teles Santos, também natural de Piripiri contou uma história curiosa. Disse que sua mãe contava que “erto viajante hospedou-se numa casa assim para passar a noite, recomendaram que se protegesse bem da tal cruviana que atacava depois da meia noite. Ele preparou-se com um facão debaixo da rede, e, lá pelas tantas da madrugada, ele acordou e, olhando pela janela embaçada pela neblina, avistou um vulto. Não pensou duas vezes, partiu pra cima do bicho e desferiu algumas facadas em desespero, e só parou quando viu que atingia a sua burrinha, que ele pensou fosse a bendita Cruviana”.

Ernâni Getirana, escritor de Lendas de Pedro II, define a Cruviana nos seguintes termos:

CRU . VI . A . NA: corruptela de corrupiana ou currubiana. Fenômeno segundo o qual há queda de neblina frígida e vento. “Cruviana não se vê, se sente”. “Pôr-do-Sol vermelho é sinal de que a noite vai ter cruviana”. Cruviana é a deusa do vento, mulher do alvorecer. Chuvisco, garoa, vento frio acompanhado de chuva, frio intenso. Na cidade de Pedro II tem cruviana, sim senhor.

É fato que Pedro II, por ser uma cidade de clima diferenciado no Piauí, manifesta o fenômeno com maior frequência que outras cidades de nosso estado, mas muitas vezes a tal Cruviana é vista visitando outros municípios. Talvez por isso, apesar das dificuldades, muitos piauienses não abandonem sua cidade ou município, que amam de paixão.

Fontes citadas pelo autor:

Anúncios

CRUVIANA (verbete). Dicionário Informal. Disponível em: Dicionário Informal; Acesso em 18 de julho de 2019.

LENDAS INDÍGENAS DE RORAIMA, quarta-feira 22 de abril de 2015.  Disponível em Clube Brasileiro de Trens Fantasmas; Acesso em 18 de julho de 2019.

GETIRANA, Ernâni. Tenda da Cruviana: Pedro II PI.;Acesso em 18 de julho de 2019.

SANTOS, Teles. Comentários à postagem de Evonaldo Andrade publicada no facebook em 16 de julho de 2019, às 21:38 horas. Disponível em: Evonaldo Andrade;.  Acesso em 18 de julho de 2019.


Salve! Pra você que chegou até aqui, nossa gratidão! Agradecemos especialmente porque sua parceria fortalece  este nosso veículo de comunicação independente, dedicado a garantir um espaço de Resistência pra quem não tem  vez nem voz neste nosso injusto mundo de diferenças e desigualdades. Você pode apoiar nosso trabalho comprando um produto na nossa Loja Xapuri  ou fazendo uma doação de qualquer valor pelo PIX: contato@xapuri.info. Contamos com você! P.S. Segue nosso WhatsApp: 61 9 99611193, caso você queira falar conosco a qualquer hora, a qualquer dia. GRATIDÃO!

Anúncios

 E-Book Caminhando na Floresta

Um livro imperdível sobre a experiência do autor na convivência com os seringueiros do Vale do Acre nos tempos de Chico Mendes.

COMPRE AQUI