Ao completar seus 18 anos de vida,  a Reserva Extrativista (Resex) Tapajós-Arapiuns, localizada nos municípios de Santarém e Aveiro,  celebra o fato de ser é uma das áreas verdes mais preservadas do Pará, estado que, no período de 1988 a 2016,  acumula a maior área de desmatamento da Amazônia legal.

Além de seus excelentes índices de conservação da biodiversidade, de preservação da natureza e de manutenção da floresta em pé, A Resex  Tapajós-Arapiuns  tornou-se modelo de referência em gestão participativa na Amazônia por conseguir gerar ocupação e renda para seus moradores sem necessidade de incorrer em práticas de desmatamento.

Para as pessoas comunitárias da Resex, acostumadas a ter voz ativa na definição das atividades da Resex, e implementá-los pelo modelo de trabalho comunitário e coletivo que as pessoas locais chamam de Puxirum (uma espécie de mutirão), o modelo comunitário de gestão deve ser mantido porque a qualidade de vida na Resex vem melhorando muito ao longo dos últimos anos.

“Batalhamos muito, fomos ameaçados de morte pelas madeireiras, ninguém dava ouvido para isso. Mas conseguimos o nosso objetivo, foi a Resex que menos demorou para ser criada”, diz. “De lá para cá, melhorou. Ficamos com o direito à nossa terra para trabalhar e não para destruir como estavam fazendo”, diz José Rosário Tegurrilho, 69 anos, da comunidade São Pedro.

Santarém (PA) - José Rosário Fonseca, Tugurrilho, 69 anos, da comunidade São Pedro, lutou para que a reserva fosse criada

Santarém (PA) – José Rosário Fonseca, Tegurrilho, 69 anos, da comunidade São Pedro, lutou para que a reserva fosse c     criada. Foto:  José Cruz/Agência Brasil

Embora haja avanços consideráveis e a Resex seja um exemplo para a Amazônia e para o Brasil, com destaque sobretudo para a Educação e para o número de projetos financiados por organizações e desenvolvidos em parceria com universidades, as comunidades reclamam da demora para  a chegada da luz elétrica e melhorias na saúde e educação, que ainda são precárias.

“Os principais motivos da criação da Resex foram a conservação da natureza e que todos os moradores pudesse viver com mais dignidade. Mas falta tudo. Falta professor qualificado, falta estrutura nas escolas”, diz o presidente da Associação Comunitária de Vila Franca e representante da Tapajoara, Raimundo Guimarães Gamboa, 58 anos, destacando que só há atendimento de saúde em seis comunidades.

Uma das principais demandas da comunidade é energia. “Na saúde, a energia poderia ajudar na conservação da medicação, não temos remédios como soro antiofídico porque nos nossos postos de saúde não têm energia”, acrescenta. Os moradores também pedem melhorias na comunicação, com mais acesso à telefonia e internet. “Em algumas comunidades, o rádio é o único meio”, diz Gamboa.

 Santarém (PA) - Presidente da Associação Comunitária de Vila Franca e membro da Tapajoara, Raimundo Guimarães
Santarém (PA) – Presidente da Associação Comunitária de Vila Franca e membro da Tapajoara, Raimundo Guimarães. Foto: José Cruz/Agência Brasil

ANOTE AÍ:

Sem serviços básicos de qualidade, as comunidades se organizam para cuidar coletivamente da sua floresta. É o famoso puxirum, que significa mobilização. Um dia por semana, os comunitários se reúnem para limpar ruas, plantar árvores e fazer atividades. Nesse dia, geralmente não se cobra e não se paga.

“Além do trabalho comunitário, o puxirum pode ser convocado por qualquer pessoa. Por exemplo, se eu tenho que limpar uma rua ou fazer uma roça, convido o povo e arranjo uma comida. Fazemos uma panelada de feijão com farinha e vai todo mundo trabalhar”, explica José Rosário Fonseca, Tegurrilho, 69 anos, da comunidade São Pedro.

RESEX TAPAJÓS-ARAPIUNS

NOME DA UNIDADE: Reserva Extrativista Tapajós-Arapiuns

BIOMA: Amazônia

ÁREA: 677.513,24 hectares

DIPLOMA LEGAL DE CRIAÇÃO: Dec s/nº de 06 de novembro de 1998, por demanda das comunidades, para proteger o território dos ribeirinhos do avanço das madeireiras que atuam no local.

POPULAÇÃO: 3.660 famílias, cerca de 15,3 mil pessoas, distribuídas por 74 comunidades ribeirinhas.

ORGANIZAÇÃO COMUNITÁRIA: Comunidades organizadas em cerca de 50 associações comunitárias estruturadas a partir de uma organização-mãe, a Associação  Tapajoara.

GESTÃO: Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). A gestão local é feita por um Conselho Gestor, do qual fazem parte o ICMBio, a Tapajoara, representantes estaduais e municipais, universidades, organizações não-governamentais e cooperativas.

COORDENAÇÃO REGIONAL / VINCULAÇÃO: CR3 – Itaituba

ENDEREÇO / CIDADE / UF / CEP: Avenida Tapajós, Nº 2.267 – Santarém/PA – CEP: 68.010-000

TELEFONE: (91) 3241.2621 / (93) 3532-2847/ 3522-3032/ 3532-2798

MAIS INFO:

Santarém (PA) – Ponta Grande, trecho do Rio Arapiuns. Foto:  José Cruz/Agência Brasil

AMAZÔNIA

Com seus 7,5 milhões de km², A Amazônia está presente em nove países e ocupa 40% do território da América do Sul. A  Amazônia é a maior e a mais importante floresta tropical do mundo. Nela encontra-se a maior bacia hidrográfica do planeta, com 20% da água doce da Terra.

Fontes: Agência Brasil  www.icmbio.gov.br

Deixe uma resposta