Dia dos Povos Indígenas é marcado pelo aumento de mortes por covid-19 e protesto

Apib realiza evento virtual neste domingo (9) para lembrar data e reforçar coro por políticas voltadas às comunidades

Por Cristiane Sampaio

A luta das comunidades tradicionais contra o avanço da covid-19 ganhará importante reforço neste domingo (9), com um evento virtual que lembrará o Dia Internacional dos Povos Indígenas, historicamente comemorado na data. Organizada pela Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib), uma live contará com a presença de centenas de parceiros e personalidades, entre indígenas e não indígenas.

O evento ocorre em meio à escalada do número de casos de coronavírus nas comunidades, que somam atualmente 23.339 pessoas contaminadas, com 651 mortes e 148 povos afetados pela doença. Os dados são da Apib, que contabiliza as ocorrências com dados dos próprios indígenas por meio de um monitoramento nacional.

“O que nós temos é um sabor de sangue, de desespero, de morte. O que o Estado brasileiro está fazendo conosco é desumano, é algo que só foi visto em momentos extremos na história do Brasil, como a ditadura militar, e hoje nós temos o dissabor de estar passando por tudo isso. Não bastasse a inoperância do Estado, ainda veio o coronavírus pra agravar tudo isso”, disse ao Brasil de Fato Dinamam Tuxá, da coordenação-executiva da entidade.

Ele sublinha que a live deste domingo pretende ampliar a ressonância da luta popular pelos direitos indígenas. A Apib, assim como outras organizações que envolvem o segmento, tem se somado a especialistas, artistas e diferentes apoiadores para cobrar políticas públicas mais efetivas direcionadas às comunidades em meio à pandemia.

O tema será o foco do evento deste ano, batizado de “Maracá – Emergência Indígena”, em referência a um dos instrumentos artesanais tipicamente utilizados pelos povos tradicionais para a produção de sons. A ideia é potencializar o coro por direitos, que contará com nomes como Maria Bethânia, Criolo, Ai Weiwei, Caetano Veloso, Camila Pitanga, Philip Glass e Chico Buarque.

“É uma forma que nós encontramos de buscar apoio de artistas e uma comoção nacional, dando visibilidade a tudo que vem ocorrendo com os povos indígenas diante da omissão do Estado brasileiro em não ter um plano estrutural pra combater o coronavírus dentro das terras indígenas”, destaca Tuxá, que é um dos participantes da live, que contará ainda com a presença de Sonia Guajajara, Cacique Raoni, Nara Baré, Joenia Wapichana, Kretã Kaingang, Davi Kopenawa e diversos outros nomes indígenas de destaque.

A transmissão do evento terá início às 17 horas, na página da Apib no Youtube.

Edição: José Eduardo Bernardes

Fonte: Brasil de Fato

Salve! Este site é mantido com a venda de nossas camisetas. É também com a venda de camisetas que apoiamos a luta do Comitê Chico Mendes, no Acre, e a do povo indígena Krenak, em Minas Gerais. Ao comprar uma delas, você fortalece um veículo de comunicação independente, você investe na Resistência. Comprando duas, seu frete sai grátis para qualquer lugar do Brasil. Visite nossa Loja Solidária, ou fale conosco via WhatsApp: 61 9 9961 1193.

Comentários

%d blogueiros gostam disto: