Dilma leva Bolsonaro à Justiça por ser chamada de ‘cafetina’

A ex-presidente Dilma Rousseff protocolou uma queixa-crime contra o presidente Jair Bolsonaro no Supremo Tribunal Federal (STF) na última terça-feira, 27 de agosto. A ação, assinada pelo advogado e ex-ministro da Justiça Eugênio Aragão e outros cinco defensores, acusa Bolsonaro de ter cometido crime de injúria por ter compartilhado no Twitter, no dia 8 de agosto, um vídeo de um discurso dele de 2014, na Câmara, em que o então deputado comparou Dilma a uma “cafetina”.

A declaração foi um ataque à ex-presidente e à Comissão da Verdade, que apurou crimes contra os direitos humanos durante a ditadura militar, cujos sete integrantes foram indicados pela petista em 2012.

“Comparo a comissão da Verdade, essa que está aí, como aquela cafetina, que ao querer escrever a sua biografia, escolheu sete prostitutas. E o relatório final das prostitutas era de que a cafetina deveria ser canonizada. Essa é a comissão da verdade de Dilma Rousseff”, disse Bolsonaro na Câmara.

“Sendo assim, considerando que a publicação do vídeo na rede social Twitter, com ofensas que atingem a honra subjetiva da querelante ao compará-la a uma cafetina, que teria escolhido sete prostitutas para defendê-la, está caracterizado o crime de injúria”, alega a defesa da ex-presidente.

A queixa-crime protocolada pela defesa de Dilma foi distribuída à relatoria da ministra Rosa Weber. Conforme o artigo 86 da Constituição, o presidente da República “na vigência de seu mandato, não pode ser responsabilizado por atos estranhos ao exercício de suas funções”.

Fonte: blogdacidadania

Salve! Este site é mantido com a venda de nossas camisetas. É também com a venda de camisetas que apoiamos a luta do Comitê Chico Mendes, no Acre, e a do povo indígena Krenak, em Minas Gerais. Ao comprar uma delas, você fortalece um veículo de comunicação independente, você investe na Resistência. Comprando duas, seu frete sai grátis para qualquer lugar do Brasil. Visite nossa Loja Solidária, ou fale conosco via WhatsApp: 61 9 9611 6826.

 

 

Comentários

%d blogueiros gostam disto: