“Que as comunidades de Belágua alcancem a cidadania plena”

Giselle Menezes, diretora da Fenae para a região Nordeste, conheceu o Movimento Solidário em Caraúbas do Piauí. Hoje em seu terceiro mandato como presidenta da Apcef Maranhão, foi ela quem, em 2015, defendeu a inclusão do município no programa. “Queria tanto que, quando abriu vaga para apresentar novos projetos, escrevi logo três”, diz Giselle.

Eu não conhecia Belágua, pra fazer o projeto eu estudei, vim conhecer a realidade, e foi sofrido. Vi uma mãe que estava sendo entrevistada com uma criança chorando de fome no colo dela. A mãe parou a conversa, pegou um galho com folhas e deu pra criança mascar, para matar a fome. A partir daquele momento, eu sabia que tinha que ser Belágua.”

Giselle, que de todas as inaugurações dos projetos comunitários nas 27 comunidades só faltou a uma, conta que o que mais a impressiona é o brilho no olhar das pessoas, especialmente das mulheres: “Elas sabem que ali, com aquela pequena ajuda, a vida delas está mudando pra melhor, e pra sempre. Não tem como não se emocionar, não tem como não esperançar, mesmo sabendo do tanto que falta para que as comunidades de Belágua alcancem a cidadania plena”, completa Giselle.

Salve! Este site é mantido com a venda de nossas camisetas. É também com a venda de camisetas que apoiamos a luta do Comitê Chico Mendes, no Acre, e a do povo indígena Krenak, em Minas Gerais. Ao comprar uma delas, você fortalece um veículo de comunicação independente, você investe na Resistência. Comprando duas, seu frete sai grátis para qualquer lugar do Brasil. Visite nossa Loja Solidária, ou fale conosco via WhatsApp: 61 9 9961 1193.

 

 

Comentários

%d blogueiros gostam disto: