Povo assustado aceita qualquer abestado –

Por: TT Catalão – 
POVO ASSUSTADO
ACEITA QUALQUER
ABESTADO
…não pode ser pra valer uma democracia q usa a mesma tática dos mafiosos: inventa doenças para comercializar curas;
demoniza grupos para idolatrar salvadores;
mente, dissimula, oculta para encobrir mitos;
persegue opostos para eliminá-los;
desmonta conquistas até repor atrasos;
inventa riscos d “ideologias” para impor
uma, única, tirana…a sua…
CRIA
INSEGUROS
PARA VENDER
MUROS…
celebra avessos, retarda avanços, criminaliza expressões, censura artes, dilui lutas, esvazia sentidos, rompe éticas, corrompe estéticas, nega a Natureza, renega o Ambiente, represa a Vida…

ANOTE:

TETÊ CATALÃO, poeta, jornalista, letrista, ativista cultural sempre de plantão. Há tempos semeia versos e cantigas de maldizer na imprensa, para a alegria de uns e a irritação de outros… Uma verve solta, afiada, cáustica, que tem origem no Boca Maldita Gregório de Matos, passa pela ironia do Barão de Itararé, verseja no melhor estilo “palavra-puxa-palavra” e desemboca… sei lá, na Rodoviária de Brasília, na selva de pedra ou no heliporto de alguma repartição pública…  Para ele, tudo flui, é passageiro. O Manoel de Barros, outro poeta iluminado, é passarinho. Tetê se confessa passageiro e recita: Na vida tudo passa, só não passa o ônibus do Guará… Anárquico, ditirâmbico…  Uma lucidez alucinada.  –  Antônio Miranda (http://www.antoniomiranda.com.br)

Veja outros textos de Tetê Catalão em: http://hps.infolink.com.br/peco/main.htm

 

 

Comentários

%d blogueiros gostam disto: