Pandora Papers e resumo da ópera

Resumo da ópera: as duas principais autoridades monetárias, econômicas e fazendárias do País, responsáveis pelas políticas fiscais, a estabilidade da moeda, o equilíbrio do câmbio, o controle das remessas de lucros, pelo crescimento da economia e o combate à inflação, a resguardar o papel e a diferença de cada cargo, possuem contas em paraísos fiscais.
Por Davis Sena Filho/brasil247
Nessas offshores, onde se lava também dinheiro sujo, inclusive o proveniente da corrupção, não se paga impostos, escamoteam fortunas, sendo que rotineiramente milionários de vários ramos e atividades e autoridades do mundo inteiro sonegam impostos e fazem remessas ilegais de dinheiro. São, na verdade, grandes quantidades de dinheiro não fiscalizadas e contabilizadas pelos governos, apesar de dizerem que offshores são legais etc… Blá blá blá…

Um se chama Paulo Guedes, ministro da Economia; o outro atende pelo nome de Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central. 

Cadê o Grupo Globo, Folha de S. Paulo, Estadão, Veja e cia, com suas matérias e opiniões tendenciosas, manipuladoras e mentirosas, a fazerem o verdadeiro, o autêntico e genuíno jornalismo de guerra e de esgoto? Escafederam-se! E esses caras enriquecem há séculos com a tragédia brasileira, retratada no abandono e descaso do Estado burguês e na pobreza e miséria. 

Ah, se fosse o Lula, a Dilma e o PT… A essas horas estariam a comer fogo e durante dias seriam chamados de ladrões e corruptos pelos verdadeiros ladrões e corruptos, como aconteceu em passado mais do que recente. Vamos ver se os filhos diletos da casa grande escravocrata vão para a cadeia ou pelo menos caem do poder, pois nem no inferno se aturaria tanta falta de vergonha na cara e vocação para a vilania, a criminalidade e a Pandora Papers. É isso aí.
Davis Sena Filho é editor do blog Palavra Livre


 
continua depois da propaganda