A homenagem celebra a luta por liberdade, justiça e democracia, no dia de nascimento de Mandela

Dia 18 de julho é comemorado o Dia Internacional Nelson Mandela, data marcada no calendário pela Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas em 2009, quando o ex-presidente da África do Sul ainda era vivo. A homenagem celebra a luta por liberdade, justiça e democracia, no dia de nascimento de Mandela, que faria 100 anos, caso estivesse vivo nesta terça, 18 de julho.

Num dia de saudosismo, quase 100 organizações civis sul-africanas vão se reunir na Rhema Bible College para bolar estratégias para derrubar do atual presidente, Jacob Zuma, envolvido em escândalos de corrupção até o pescoço — para pudesse concorrer ao cargo, a Justiça engavetou mais de 700 acusações contra ele. Na mais recente, ele teria usado 16 milhões de dólares dos cofres públicos para fazer uma reforma em sua casa. O presidente, que já está há oito anos no cargo, se mantém no poder por ter maioria no Congresso, o que garante que os pedidos de impeachment contra ele não vão para frente.

‘Madiba’”, apelido carinhoso pelo qual era chamado Mandela. O ex-presidente é considerado o líder político mais importante que o país já teve, por ter sido um dos principais responsáveis pelo fim do apartheid e pela instituição da democracia sul-africana, e foi congratulado com um Nobel da Paz.

Em meio a um cenário político conturbado, a África do Sul também tem sofrido na economia, afetada pela queda no preço das commodities, por uma das piores secas de sua história e pela baixa capacidade de atrair investimentos, num ambiente de incertezas. De 2011 até agora, o PIB do país perdeu 30% do valor. Não chegou a 300 bilhões de dólares em 2016 e foi superado por Nigéria e Egito. O país de Mandela luta para se manter na posição de economia – e de democracia – mais forte do continente africano.

A conferência, intitulada “O Futuro da África do Sul”, foi articulada pelas organizações Save South Africa e Ahmed Kathrada Foundation, por acreditarem que “nunca houve momento mais importante para resgatar os valores de

‘Madiba’”, apelido carinhoso pelo qual era chamado Mandela. O ex-presidente é considerado o líder político mais importante que o país já teve, por ter sido um dos principais responsáveis pelo fim do apartheid e pela instituição da democracia sul-africana, e foi congratulado com um Nobel da Paz.

Em meio a um cenário político conturbado, a África do Sul também tem sofrido na economia, afetada pela queda no preço das commodities, por uma das piores secas de sua história e pela baixa capacidade de atrair investimentos, num ambiente de incertezas. De 2011 até agora, o PIB do país perdeu 30% do valor. Não chegou a 300 bilhões de dólares em 2016 e foi superado por Nigéria e Egito. O país de Mandela luta para se manter na posição de economia – e de democracia – mais forte do continente africano.

Celebra-se neste 18 de julho o Dia Internacional Nelson Mandela, que este ano recorda o 100º aniversário do nascimento do líder sul-africano e vencedor do Prêmio Nobel da Paz. No Twitter, o Papa Francisco recordou a data com a seguinte mensagem: “Jesus nos convida a construir juntos a civilização do amor nas situações em que vivemos todos os dias”.

Em mensagem para a ocasião, o secretário-geral da ONU, António Guterres, diz que Mandela “foi um grande defensor global da justiça e da igualdade” e que “continua a inspirar o mundo com seu exemplo de coragem e compaixão”.

O caminho a seguir
António Guterres lembra que o ex-presidente da África do Sul “foi mantido em cativeiro por muitos anos”, mas que “nunca se tornou prisioneiro de seu passado”. Em vez disso, Mandela “colocou sua energia na reconciliação e em sua visão de uma África do Sul pacífica, multiétnica e democrática”.

O secretário-geral diz que este dia serve para comemorar “uma vida inteira de serviço” e que “raramente uma pessoa na História fez tanto para estimular os sonhos das pessoas e movê-las para a ação”. Guterres acredita que essa luta pela igualdade, dignidade e justiça continua. Segundo ele, o legado de Madiba, como o líder ficou conhecido, mostra o caminho a seguir.

Celebração
Este ano, a Fundação Nelson Mandela dedica o Dia à ação contra a pobreza. Segundo a fundação, o objetivo é “honrar a liderança e devoção de Nelson Mandela no combate à pobreza e na promoção de justiça social para todos”.

Na sede da ONU, em Nova Iorque, uma exposição destaca as principais contribuições de Mandela para a paz e segurança, direitos humanos e desenvolvimento sustentável. A exposição foi inaugurada em 9 de julho e pode ser visitada até 2 de setembro. A ONU também emitiu um selo em homenagem ao centenário de Mandela.

Estabelecido em 2009 pela Assembleia Geral, este Dia convida todos a fazerem a diferença nas suas comunidades. A ONU diz que o centenário é “uma ocasião para refletir na sua vida e legado, e para seguir a sua chamada para tornar o mundo um lugar melhor”.

O povo no coração
Passados cinco anos de sua morte, Madiba permanece vivo sobretudo na memória das pessoas que o conheceram, como George Johannes, embaixador da África do Sul junto à Santa Sé. “A sua herança é o testemunho de que não importa quanto seja desesperadora ou difícil uma situação. Se há determinação e vontade, é possível dialogar e chegar a uma solução. Nós chamamos isso de ‘efeito Mandela’”, declarou o embaixador ao Vatican News.

O diplomata recorda Nelson Mandela com afeto. “Ele foi um dos primeiros a dizer: deem metade do meu salário aos pobres. Um dia, estávamos juntos no carro e eu pedi para ver suas mãos, endurecidas pelos anos de trabalho forçado quebrando pedras em Robben Island. E ele me disse: ‘Se você se tornar um político, deve ter sempre o povo no coração’.

Fonte: Exame  Com informações do VaticanNews –  Edição Xapuri

Salve! Este site é mantido com a venda de nossas camisetas. É também com a venda de camisetas que apoiamos a luta do Comitê Chico Mendes, no Acre, e a do povo indígena Krenak, em Minas Gerais. Ao comprar uma delas, você fortalece um veículo de comunicação independente, você investe na Resistência. Comprando duas, seu frete sai grátis para qualquer lugar do Brasil. Visite nossa Loja Solidária, ou fale conosco via WhatsApp: 61 9 9611 6826.

Leave a Reply

Your email address will not be published.