Onde estão os povos indígenas do Brasil?

Quando pensamos nos povos indígenas do Brasil, estamos pensando, diretamente, em diversidade: no território brasileiro existem 305 etnias e 274 idiomas indígenas diferentes, de acordo com o último censo demográfico realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2010…

Por Blog da Genera

Assim, toda vez que falamos da cultura indígena brasileira, precisamos ter em mente as culturas indígenas, no plural. Suas tradições, costumes e idiomas podem variar dependendo de cada etnia. E a pluralidade é ainda maior se levarmos em consideração os povos nativos de outros países.

No Brasil, os povos originários estão distribuídos por todas as cinco regiões, em todos os estados. Apesar disso, o número de indígenas é pequeno comparado ao restante da população: eles representam apenas 0,26% dos brasileiros. Isso significa que, em 2010, havia um total de 896.917 indígenas no Brasil (817.963 que se declaravam como indígenas e 78.954 que, apesar de não terem se declarado como tal, viviam em terras indígenas).

Pela expressiva diminuição dos números dessa população desde o período da colonização, os povos nativos e seus descendentes lutam pela preservação de sua história e por sua sobrevivência. No último censo do IBGE, existiam etnias compostas por apenas um indivíduo e idiomas falados por uma única pessoa. É o caso da língua yawalapití, dos moradores do Parque Indígena do Xingu, no norte do Mato Grosso, e de várias outras que se encontravam na mesma situação.

Por esta razão, os grupos indígenas promovem, com frequência, ações pela defesa de seus direitos, como a demarcação de suas terras e políticas afirmativas, e pela conservação e resgate de suas culturas, como aulas de idiomas e o registro de suas histórias.

O que faz uma pessoa ser indígena?

A partir da chegada dos europeus no Brasil no século XV, iniciou-se um grande processo de miscigenação da população brasileira, na época composta integralmente pelos nativos. Além dos colonizadores, chegaram, nos séculos seguintes, diversos povos africanos – trazidos forçosamente para realizarem trabalho escravo – e outros grupos europeus e asiáticos, como italianos, alemães, libaneses e japoneses.

É comum que os brasileiros tenham várias dessas ancestralidades, inclusive de povos nativos, mesmo sem ter conhecimento delas. Entretanto, para ser considerada uma pessoa indígena, dois aspectos essenciais devem ser levados em consideração: o reconhecimento da identidade indígena e o pertencimento a um grupo de origem.

Esses são os critérios adotados pela Fundação Nacional do Índio, a FUNAI, para definir o conceito de indígena no Brasil. Segundo o órgão, não cabe ao Estado reconhecer ou não alguém como indígena, mas sim à própria pessoa ou à comunidade da qual ela faz parte.

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

De acordo com a Lei número 6.001, dezembro de 1973, que promulgou o Estatuto do Índio, são considerados como indígenas “todos os indivíduos de origem e ascendência pré-colombiana que se identifica e é identificado como pertencente a um grupo étnico cujas características culturais o distinguem da sociedade nacional”.

A autoidentificação é, segundo o IBGE, um dos fatores que fez o número de pessoas indígenas aumentar no Brasil nos últimos anos, especialmente entre os que vivem em áreas urbanas. A quantidade de indígenas, que era de 210 mil em 1980, subiu para 400 mil em 2000 e duplicou na década seguinte.

Os povos originários pelo Brasil

Apesar de representarem, no censo de 2010, apenas uma pequena parcela dos brasileiros, há populações indígenas nas 27 unidades federativas do país.

Estimativas sugerem que, quando os portugueses chegaram ao Brasil, no ano de 1500, a população estava entre 2 e 5 milhões de habitantes. Logo em 1570, algumas décadas após a vinda dos primeiros colonizadores, a quantidade de nativos já havia decrescido para 800 mil pessoas.

A última contagem feita pelo IBGE registrou 817.963 pessoas que se consideravam indígenas (a autodeclaração de pessoas indígenas no censo brasileiro, na categoria de “cor ou raça”, foi adotada a partir de 1991). Além das autodeclaradas, a pesquisa de população somou a esse grupo, também, as 78.954 pessoas que viviam em terras indígenas, totalizando 896.917 indivíduos.

A região Norte, com 305.837 pessoas indígenas, é a principal localidade de origem dos povos originários do Brasil atualmente. Ela é sucedida pela região Nordeste, com 208.691 indígenas autodeclarados, e Centro-Oeste, com 130.494. Os estados com a maior proporção de indígenas são Roraima, Amazonas e Mato Grosso.

Na zona da Amazônia Legal, que engloba a região Norte e partes do Centro-Oeste e Nordeste, a FUNAI contabiliza 114 grupos de indígenas isolados, isto é, populações que não mantêm relações permanentes com outras sociedades, indígenas ou não indígenas. De acordo com o órgão, esse isolamento decorre dos efeitos negativos de contatos prévios com outros povos, como doenças, atos de violência física, exploração de seus territórios e ameaça a suas culturas.   

O censo de 2010 identificou, entre as 305 diferentes etnias que vivem no Brasil, a presença de 274 idiomas. Segundo a pesquisa, 37,4% dos nativos brasileiros falavam alguma língua indígena.

E olha só que legal: no estado do Amazonas, São Gabriel da Cachoeira, cidade com a terceira maior proporção de indígenas no Brasil, tem três idiomas como línguas oficiais, além do português: o tukano, o baniwa e o nheengatu.

Ancestralidade indígena

Os povos originários, ao longo da história, deixaram um importante legado cultural à população brasileira. Além dos costumes e das histórias que foram passados de geração a geração, há influências da cultura indígena até no idioma que falamos.

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

Estima-se que 80% dos nomes de animais e plantas que utilizamos na língua portuguesa do Brasil venham de línguas da mesma família do tupi. É o caso das palavras capivara, tamanduá, jabuti, caju e capim.

Muito provavelmente, também, o nome de alguma cidade próxima a onde você vive tem origem indígena. A denominação de vários estados brasileiros surgiu a partir de vocábulos indígenas. É o caso do Amapá: o termo viria do tupi ama (chuva) e paba (lugar), “lugar onde chove”. Por sua vez, o nome do estado do Paraná procederia da língua guarani, em que para significa mar e anã, parecido. Ou seja, “parecido com o mar”, em referência ao rio Paraná.

Você sabe se, assim como uma grande parte das pessoas brasileiras, sua família tem alguma procedência indígena? Há como descobrir isso a partir de uma análise do seu DNA. 

Com o Teste de Ancestralidade Global da Genera, você consegue saber todas as regiões do mundo que compõem o seu DNA e, até mesmo, descobrir o caminho que os seus ancestrais percorreram ao longo do tempo. 

Você pode ver em nosso site como os resultados são apresentados. É uma ótima maneira de se reconectar com a história da sua família e de aprender sobre novas culturas.

Referências

Censo 2010: população indígena é de 896,9 mil, tem 305 etnias e fala 274 idiomas

Conheça a origem etimológica dos 26 estados brasileiros

Diagnóstico da População Indígena no Brasil

Estudos especiais: o Brasil indígena

Estatuto do Índio. Lei nº 6.001, de 19 de dezembro de 1973

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

Índios no Brasil: quem são

O Brasil Indígena

Os indígenas no Censo Demográfico 2010 

Palavras indígenas nomeiam a maior parte das plantas e animais do Brasil

Povos Indígenas Isolados e de Recente Contato

Quais os critérios utilizados para a definição de indígena?

Block

Salve! Este site é mantido com a venda de nossas camisetas. Você pode apoiar nosso trabalho comprando um produto em nossa loja solidária (lojaxapuri.info) ou fazendo uma doação de qualquer valor via pix ( contato@xapuri.info). Gratidão!

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO
[instagram-feed] [instagram-feed]