O silêncio que se escuta

O silêncio é um barulho que os místicos e os ascetas conseguem escutar. É o som que brota do interior do ser humano que busca elevar seu espírito sem, segundo Mansur Challita, “medo de curvar-se diante do desconhecido e do sobrenatural e de conhecer a força e a beleza das aspirações elevadas que resistem às seduções da terra”.
Os Mestres da lei e os Fariseus ficaram em silêncio diante da cura que Jesus Cristo operou na vida de um hidrópico (que tem acúmulo de líquido em tecidos e cavidades do corpo): “Mas eles ficaram em silêncio… E eles não foram capazes de responder a isso” (cf. Lc 14,1-6).
Foi um silêncio que superou o preconceito da norma que escravizava um povo, por isso que “não podemos impedir a nossa mente de olhar, maravilhada, para um cego que recuperou a visão ou um paralítico que ainda, sem que nossa razão ou nosso saber possam explicar esses acontecimentos” (Mansur Challita), necessita de uma cura.
O silêncio espiritual serve, todavia, como purificação. “Por conseguinte, para o homem que pretende libertar-se do seu próprio “eu” é esperada uma árdua luta. Esta luta é entre o “eu” que pertence ao mundo com o “Eu” superior e ideal que possibilitará ao homem apresentar-se diante de Deus. Neste esforço, tal como declarou Jesus Cristo, o homem deverá submeter-se a si mesmo como também seus atos a um rigoroso exame. É necessário abandonar muitos bens mundanos para obter o tesouro celestial e submeter-se a prova do sofrimento para purificar sua vontade” (Panayiotis Christou).
Nesta luta contra todos os ditames deste mundo barulhento, caminha o silêncio que se perde na superação do preconceito: “Perdia-se em Deus como um rio se perde no mar”, nos ensina o admirador do monástico São Charbel (1828-1898), Paul Daher. O silêncio, portanto, permite ao homem voltar-se a si mesmo descobrindo sua grandeza frente ao mistério de sua purificação.
Fonte: Padre Joacir d’Abadia, Filósofo autor de 12 livros / WhatsApp (61) 9 9931-5433

Salve! Este site é mantido com a venda de nossas camisetas. É também com a venda de camisetas que apoiamos a luta do Comitê Chico Mendes, no Acre, e a do povo indígena Krenak, em Minas Gerais. Ao comprar uma delas, você fortalece um veículo de comunicação independente, você investe na Resistência. Comprando duas, seu frete sai grátis para qualquer lugar do Brasil. Visite nossa Loja Solidária, ou fale conosco via WhatsApp: 61 9 9611 6826.

Leave a Reply

Your email address will not be published.