“O adorno – colar – escolhido por Bolsonaro diz muito. Entre os Ameríndios, há aquilo que a literatura etnológica chama de Predação – quando você preda – captura – os atributos físicos ou espirituais do Outro para si.

Não raras vezes, os atributos do Outro – humanos e extra humanos – quando capturados ou predados tornam-se evidência para quem capturou, desta forma, sendo adornado em si ou utilizado em outras práticas rituais.

Como Bolsonaro não pratica o pensamento de Predação Ameríndia e sim o pensamento de Predação Capitalista, a mensagem dele é EVIDENTE: Bolsonaro apresenta um colar de ossos, e nós, humanos findados no capitalismo, sabemos bem o que ossos representa – A MORTE.

Bolsonaro poderia ter escolhido um outro colar do grupo Kalapalo (que a guria ali do lado diz pertencer), mas não, ele não escolheu um colar de miçanga colorido xinguano, ele escolheu o primeiro que representa expôr a morte – ossos – para nós “ocidentais” e enfiou no pescoço. Um troféu entre caçadores.

O recado é claro: NÃO HAVERÁ UM CENTÍMETRO DE TERRA INDÍGENA DEMARCADA! Morte a todos!”

Fonte: Facebook de Gleice Antonia de Oliveira

Nota: Para o líder indígena Davi Kopenawa, do Povo Yanomami, o presidente do Brasil é um Xauara – uma pessoa que tem o pensamento adoecido.

Salve! Este site é mantido com a venda de nossas camisetas. É também com a venda de camisetas que apoiamos a luta do Comitê Chico Mendes, no Acre, e a do povo indígena Krenak, em Minas Gerais. Ao comprar uma delas, você fortalece um veículo de comunicação independente, você investe na Resistência. Comprando duas, seu frete sai grátis para qualquer lugar do Brasil. Visite nossa Loja Solidária, ou fale conosco via WhatsApp: 61 9 9611 6826

Comentários

%d blogueiros gostam disto: