Até na reabilitação, os animais de estimação fazem um bem enorme para o  ser humano. São considerados o melhor remédio para o corpo e para a alma, pois fazem com que as pessoas que os cuidam não não se sintam sozinhas e inseguras.

Há registros no mundo de vários casos de pessoas que superaram a depressão devido ao convívio com os animais. Segundo Vininha F. Carvalho, editora da Revista Ecotour News (www.revistaecotour.tur.br),  estudos científicos comprovam que a chance de sobreviver a um enfarte é quatro vezes maior para quem tem um animal de estimação  em casa, comparado a quem vive só.
Alguns animais são considerados excelentes para contribuir no tratamento de pessoas com deficiência.
Um deles é o cavalo, cujo tratamento, chamado equoterapia,  é indicado para o tratamento da  paralisia cerebral, do traumatismo cranioencefálico, do acidente vascular cerebral, da síndrome de Down, da esclerose múltipla, e de outras enfermidades relacionadas ao  sistema nervoso central.
O ritmo mais indicado para a terapia é o passo, pois é através dele que o cavalo pode transmitir ao paciente o balanço ântero-posterior, o lateral e o vertical, semelhante à ação de pelve humana durante a marcha. A terapia com cavalos, também estimula a orientação espacial, a autoestima e o poder de concentração.
O cão guia é treinado para conduzir com segurança as pessoas com deficiência visual a qualquer local, sendo capaz de parar no meio fio das calçadas, nos obstáculos, inclusive em desníveis e buracos no pavimento, em estradas.
A comunicação entre o cão e seu tutor se dá por meio  de uma coleira especial que permite o reconhecimento do cão, quando ele muda de direção para evitar um acidente ou quando diminui a velocidade num local de maior cuidado, informa Vininha F.Carvalho.
O cão é treinado para analisar o espaço que ele e seu tutor ocupam para agir corretamente, como por exemplo, calcular quando o espaço é insuficiente para a passagem de seu tutor.
Entre as raças de cães utilizados para essa tarefa, estão o Retriever do Labrador e Golden Retriever, por serem cães de aparência mais dócil facilita a socialização.
Estes e outros animais, aliados a profissionais de reabilitação especializados, podem trazer muitos benefícios para crianças e adultos com deficiências físicas, sensoriais e emocionais.
Fonte: Del Valle Editoria

 

Anúncios

One Response

  1. Antidepressivos sem terapia não surtem efeito, diz pesquisa - Xapuri

    […] Para o neurocientista Eero Castrén, da Universidade de Helsinque, Finlândia, uma mudança no “hardware” do cérebro só trará benefícios se houver uma mudança no “software” – o comportamento do paciente – algo que não é suprido pelos antidepressivos, só podendo ser alcançada mediante a psicoterapia ou terapias de reabilitação. […]

    Responder

Comentários

X
preloader