Um abraço negro no combate ao Racismo 

Por: Bia de Lima

Racismo é crime. E este crime inafiançável contra nossa sociedade e, especialmente, contra o povo negro brasileiro, o SINTEGO combate com ações pedagógicas nas escolas goianas que culminam, todo ano, com um grande Abraço Negro em Goiânia, capital do nosso estado.

As preparações para o Abraço Negro começam no dia 13 de maio, Dia Nacional de Denúncia contra o Racismo, com ações sistemáticas que vão possibilitando as discussões sobre as relações raciais no ambiente escolar, organizadas por meio de diálogos, debates, encontros, atividades pedagógicas e vários momentos de formação continuada, para consolidar, em chão goiano, um projeto de Educação antirracista.

Assim tem sido desde o ano 2000, quando cerca de trezentos estudantes e trabalhadores da Educação realizaram no Bosque dos Buritis, com o apoio do Movimento Negro Unificado Bia de Lima (MNU) e do Centro de Referência Negra Lélia Gonzalez e a participação das escolas municipais Evangelina Pereira da Costa e Salmon Gomes Figueiredo, o primeiro Abraço Negro em Goiânia.

Desde então, nosso Abraço Negro é realizado em 20 de Novembro, Dia Nacional da Consciência Negra, data instituída pelo Movimento Negro para honrar a memória de Zumbi, o grande líder do Quilombo dos Palmares que, como tantos outros, escreveu, com a própria história (Zumbi foi assassinado em 20 de novembro de 1695), a história do povo liberto da escravidão por sua capacidade de luta e resistência nos quilombos do Brasil.

Em 2018, ante as ameaças de extermínio dos direitos já conquistados pelas populações afrodescendentes, o SINTEGO faz do Abraço Negro um momento de chamada à reflexão sobre a importância de fazer valer a Lei 10.639, que torna obrigatório o ensino da História da África e da Cultura Afro- -brasileira na Educação Básica do Brasil.

O Abraço Negro é, portanto, um espaço que consolida o esforço cotidiano dos nossos profissionais da educação para conscientizar a sociedade do nosso Estado sobre a importância de erradicar o sofrimento vivido por milhares de crianças e jovens negros, devido ao preconceito e ao racismo não somente em Goiânia, mas em Goiás e no Brasil.

Ao mobilizar toda a comunidade escolar, professores, estudantes, enfim, nossa comunidade, para o Abraço Negro, o SINTEGO se junta a todos aqueles que, de todas as formas possíveis, lutam por uma Educação justa, inclusiva, solidária e, sobretudo, antirracista.

Ao abraçar simbolicamente uma escola, uma praça, um espaço comum, o SINTEGO exercita, no seu quefazer pedagógico, uma das mais belas lições herdadas da ancestralidade africana, o conceito do UNBUTU: “Eu sou porque nós somos”.

Racismo Racismo Racismo Racismo  Racismo  Racismo

Bia de Lima
Educadora. Presidenta do Sintego


Comentários

%d blogueiros gostam disto: