MEUS OITO ANOS

Meus oito anos

MEUS OITO ANOS Oh! que saudades que eu tenho Da aurora da minha vida, Da minha infância querida Que os anos não trazem mais! Que amor, que sonhos, que fl ores, Naquelas tardes fagueiras À sombra das bananeiras, Debaixo dos laranjais! Como são belos os dias Do despontar da existência! – Respira a alma inocência …

MEUS OITO ANOS Leia mais »