Mãos Contrárias

Mãos Contrárias Poema de Antônio Victor Minhas mãos não nasceram para as palavras, mas para as ações pesadas que tantas vezes dispensam o tão inútil pensar. Minhas mãos em sua essência são mãos ásperas, agrestes, que de rugas se revestem na perpetuagem do tempo. Minhas mãos nasceram para amansar cavalos e segurar bois. Procuram, no …

Mãos Contrárias Leia mais »